O ator Pedro Cardoso, que fez grande sucesso com o personagem de Agostinho Carrara, da série "A Grande Família", concedeu uma entrevista ao programa "Provocações", da TV Cultura, conduzido pelo apresentador Marcelo Tas, nesta terça-feira (23). Na entrevista, Pedro Cardoso mostrou uma grande insatisfação que possui com a Rede Globo e aproveitou para fazer duras críticas ao lema do presidente da República, Jair Bolsonaro: "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos".

O ator assumiu que sempre foi de esquerda, porém, diante da vitória de Bolsonaro, mudou para a extrema-esquerda, mostrando revolta com o atual Governo.

De acordo com o eterno Agostinho Carrara, o lema de Bolsonaro não condiz com a vontade de todos os brasileiros. Ele afirmou que Deus não pode estar acima dele, pois não crê em Deus. Em razão disso repudia o lema do mandatário brasileiro. Além disso, chamou o governo Jair Bolsonaro de "fascismo vigente no Brasil".

Ataques contra a Globo

Pedro Cardoso foi um ator de grande destaque na Rede Globo. No entanto, ele mostra um certo ressentimento com a direção do canal carioca. Ele disse que nunca ficou rico na emissora, mesmo interpretando Agostinho Carrara por 12 anos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Jair Bolsonaro

Segundo Cardoso, quem ficou rica foi a Globo explorando ao máximo o seu talento.

Ele ressaltou que ainda precisa trabalhar para poder pagar suas contas e não possui nenhuma economia que o tranquilize em sua vida. Morando em Portugal, o ator revelou que vem ao Brasil apenas pelo dinheiro da bilheteria que consegue juntar.

Recentemente, o nome do ator esteve em evidência nas redes sociais após rumores de que a sexta edição do jogo GTA aconteça no Rio de Janeiro. Fãs do personagem Agostinho Carrara fizeram uma petição online. A intenção era que ele estivesse como avatar no novo game, simbolizando o taxista.

Bolsonaro visita a Bahia após polêmica

Recentemente, Bolsonaro se envolveu em uma polêmica com o Nordeste, após falar sobre governadores da região. Em uma conversa informal com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o presidente disse que "daqueles governadores de paraíba, o pior é o Maranhão".

Embora tenha dito depois que ama o Nordeste, muitos críticos do seu governo atacaram as suas declarações.

Durante um evento em Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia, na terça-feira (23), Bolsonaro ressaltou que não há divisão entre o povo brasileiro. "Somos um só povo com um só objetivo", disse.

O presidente também disse que defende o respeito às religiões e, embora o estado seja laico, ele é cristão. O ex-capitão, inclusive, tem pretensões de escolher um ministro evangélico para o Supremo Tribunal Federal (STF).

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), se recusou a estar presente no evento de inauguração do terminal aéreo juntamente com Bolsonaro. O presidente lamentou a ausência do governador e disse que não tem preconceitos em relação a partidos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo