Após 16 anos de pausa, o Governo dos Estados Unidos confirmou, nesta quinta-feira (25), que irá retomar a pena de morte em nível federal. A informação foi divulgada em uma nota, emitida pelo procurador geral do país, William Barr.

Segundo o comunicado, publicado no site do Departamento de Justiça dos EUA, Barr liberou a execução de criminosos para levar justiça às vítimas e familiares. "O Departamento de Justiça defende o Estado de direito, e devemos às vítimas e às suas famílias levar adiante a sentença imposta por nosso Sistema Judiciário", cita o procurador.

Na nota, o governante citou também que, espelhado em outros 14 estados, o Protocolo Federal de Execução deve substituir as três drogas utilizadas anteriormente nas execuções, por um único medicamento, Pentobarbital, direcionado à aplicação de injeções letais.

Apontados pelas autoridades como os “piores criminosos” do país, a lista com os cinco primeiros presos condenados a pena de morte já foi liberada. Entre os crimes cometidos por eles, estão assassinatos, tortura, estupro e omissão de cadáver. As execuções dos presidiários foram marcadas na penitenciária de Terre Haute, em Indiana.

Os cinco condenados à pena de morte

Na nota divulgada pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos foram citados o nome e o histórico criminal de cada um dos cinco presos apontados à pena de morte. As execuções devem ocorrer entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020.

Daniel Lewis Lee

Segundo a nota, Daniel Lewis Lee roubou e matou três pessoas da mesma família, incluindo uma menina de oito anos. Os corpos das vítimas foram jogados em um pântano de Illinois, com um saco na cabeça. Membro de uma comunidade racista, Daniel foi condenado em maio de 1999 por triplo homicídio e extorsão. A execução dele foi agendada para 9 de dezembro de 2019.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Curiosidades Governo

Lezmond Mitchell

De acordo com o Departamento de Justiça dos EUA, Lezmond Mitchell esfaqueou um idoso de 63 anos e fez a neta dele viajar aproximadamente 60 quilômetros ao lado do corpo. Quando parou o carro, a jovem foi assassinada com facadas e pedradas. Lezmond foi condenado em 8 de maio de 2003 por diferentes crimes, incluindo assassinato de primeiro grau, homicídio doloso e o roubo de um veículo. A pena de morte dele foi programada para 11 de dezembro de 2019.

Wesley Ira Purkey

Conforme cita a publicação, Wesley Ira Purker foi detido por estuprar e assassinar uma adolescente de 16 anos.

Após cometer o homicídio, ele desmembrou, queimou e jogou o corpo da jovem em um lago. Além desse crime, Purker também foi condenado por matar a marteladas uma idosa de 80 anos, com problemas de locomoção. No júri, em 5 de novembro de 2003, Wesley foi apontado ainda como o autor do sequestro e assassinato de uma criança. A execução do preso deve ocorrer em 13 de dezembro de 2019.

Alfred Bourgeois

Ainda segundo o Departamento de Justiça, Alfred Bourgeois foi indiciado por ter torturado, estuprado e espancado até a morte, a filha de 2 anos e meio. Ele foi condenado em 16 de março de 2004 e teve a execução agendada para 13 de janeiro de 2020.

Dustin Lee Honken

Honken foi preso por assassinar cinco pessoas, incluindo duas crianças, de 6 e 10 anos. Segundo a nota divulgada pelo Governo Federal dos EUA, duas das vítimas pretendiam testemunhar contra ele, entretanto, o motivo não foi citado. O preso foi a júri em 14 de outubro de 2004 e teve a execução marcada para o próximo ano, em 15 de janeiro de 2020.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo