De viajem marcada para esta segunda-feira (23), com destino à Assembleia-Geral da ONU, o presidente Jair Bolsonaro e sua comitiva deverão levar consigo a indígena Yasani Kalapalo para participar do discurso na organização que tem data para ocorrer nesta terça-feira (24) em solo americano, mais precisamente no Estado de Nova York onde está localizado a sede das Nações Unidas (ONU). Na noite deste sábado (21), o jornal do Estado confirmou ter checado a informação com um fonte do Planalto, outros meios de comunicação também noticiaram a informação.

A Folha por exemplo, alegou não saber se a indígena aceitará ou não o convite.

Pró-Bolsonaro, a indígena é do Estado do Mato Grosso, ela faz parte de uma aldeia no Parque Indígena do Xingú.

Posicionamento pró e contras

Por conta do posicionamento político da jovem, há também aqueles que se incomodaram com a presença dela na comitiva do Governo, uma delas, de acordo com informações do jornal Estado de S. Paulo, foi Sonia Guajajara, presidente da Apip, a Associação dos Povos Indígenas do Brasil, ela chegou a ser vice na chapa de Guilherme Boulos do PSOL nas eleições presidenciais de 2018, Guadajajara alegou, que, 'Yasani não tem representatividade' sobre o que querem os indígenas.

Yasani por sua vez defende que há fake news (do inglês literal --notícias falsas) nas informações das queimadas que estão ocorrendo na Amazônia, mesmo discurso defendido pelo governo Bolsonaro.

Discurso sobre as queimadas

Na quarta-feira (18), um vídeo de Yasani Kalapalo foi postado na página oficial do presidente Jair Bolsonaro, nele, a indígena aparece falando sobre as queimadas alegando como as fake news, segundo ela, são usadas contra o governo.

Estima-se que na Assembleia-Geral da ONU, o presidente Bolsonaro deverá discursar com o intuito de enviar 'recados' à comunidade internacional, dentre eles, os crimes ambientais, a média de queimadas que ocorrem, correlacionando aos anos anteriores para demonstrar a média, e a então 'má vontade' de outros países com a sua gestão.

Delegação rumo à ONU nos EUA

Com equipe montada, a comitiva do governo se prepara para visitar os Estados Unidos em ato oficial do governo. Dentre eles, a primeira-dama Michelle Bolsonaro e alguns ministros também.

Eduardo Bolsonaro do PSL por São Paulo, então virtualmente indicado pelo presidente Jair Bolsonaro ao cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos da América (os EUA) e Nelsinho Trad, do PSD pelo Mato Grosso do Sul, também estão contados na delegação segundo informações do jornal Estado de S.Paulo, os dois devem seguir em breve à Nova York, ambos são presidentes das comissões de Relações Exteriores da Câmara.

O Itamaraty confirmou o pedido credencial por parte do governo na delegação do país por aliados de Juan Guaidó, um dos principais líderes da oposição ao atual governo venezuelano, o órgão do Poder Executivo destacou a medida como excepcional por conta da representação na ONU.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Tendências
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!