Na última terça-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra, o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP) rasgou uma placa que mostrava uma arte que representava o genocídio da população negra no Brasil.

A imagem mostrava um homem negro deitado e com algemas e ao fundo havia um policial com uma arma que estava saindo fumaça, como se aquele policial tivesse acabado de alvejar o homem que estava caído. A arte estava afixada no túnel que fica entre o Anexo II e o Plenário da Câmara dos Deputados.

O parlamentar gravou na tarde do dia 19 um vídeo em que vandalizava a charge do artista Latuff.

A arte fazia parte da mostra "Trajetória Negras Brasileiras", que aconteceu na Câmara.

Letalidade policial

O Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança 2019 informa que entre 2017 e 2018, a população negra foi a maior vítima de letalidade policial.

O deputado enviou ofício ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pedindo a retirada da peça. Ele a classificou como: "desnecessária".

Após a atitude tomada pelo Coronel Tadeu, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) disse que entrará no conselho de ética contra o deputado do PSL.

A Polícia Legislativa foi acionada por outros deputados oposicionistas que irão relatar o caso a Rodrigo Maia.

O Coronel Tadeu afirmou que a arte não iria ficar na parede, ele alegou que a obra era contra a polícia, disse o deputado em vídeo publicado em sua rede social.

Revolta da oposição

A oposição se posicionou contra a atitude do deputado logo após o ocorrido, Áurea Carolina (PSOL-MG), Benedita da Silva (PT-RJ), David Miranda (PSOL-RJ) e Talíria Petrone (PSOL-RJ) registraram boletim de ocorrência na Delegacia da Polícia Legislativa contra o parlamentar.

A corregedoria da Câmara investigará o caso, os deputados de oposição também disseram que irão entrar com uma representação no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados por quebra de decoro parlamentar e também irão à Procuradoria Geral da República (PGR).

O deputado disse ter rasgado a placa para defender os policiais militares e disse que repetiria o ato se a obra fosse recolocada na exposição.

Coronel Tadeu foi alvo de críticas no plenário da Câmara dos Deputados, muitos de seus pares exigiram que ele deixasse a Mesa Diretora e convocaram os colegas a abandonar o local.

Os deputados acalmaram-se depois que o presidente da casa, Rodrigo Maia, também criticar o deputado do PSL.

O presidente da Câmara repudiou este tipo de ato, e o próprio Tadeu afirmou que talvez aquela não tenha sido a melhor maneira de resolver a situação.

Não perca a nossa página no Facebook!