Em uma conferência nos Estados Unidos, o ministro da Economia Paulo Guedes disse, em resposta aos discursos feitos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se alguém defendesse o Ato Institucional número 5 não era para ninguém se assustar.

Na visão de Guedes, uma pessoa que defende a democracia, não chama seus seguidores para quebrar as coisas na rua. Ainda chamou de irresponsabilidade o fato de convocar alguém para fazer o que ele chamou de “quebradeira”. Ele disse que quem acredita na democracia espera concorrer, vencer e ser eleito e não chama as pessoas para quebrarem coisas na rua.

“Sejam responsáveis, pratiquem a democracia. Ou democracia é só quando o seu lado ganha? Quando o outro lado ganha, com dez meses você já chama todo mundo para quebrar a rua?", disse Guedes.

Segundo Guedes diante das ameças feitas de "quebradeira" nas ruas, não eram para as pessoas se assustarem por alguém defender o AI-5. Isso de promover quebradeira, na visão do ministro, é uma visão “burra”, estúpida e nada tem a ver com a tradição democrática brasileira. Que responsabilidade é essa? Não se assustem se alguém então pedir o AI-5. Já não aconteceu uma vez? Ou foi diferente?”, disse o ministro.

Rodrigo Constantino comenta fala de Paulo Guedes

A fala do ministro da Economia Paulo Guedes teve vários comentários negativos de pessoas o acusando de defender a ditadura e outros defendendo esse discurso dizendo que Guedes estava certo. Na última terça-feira (26), em um dos programas da rádio Jovem Pan, Jornal da Manhã, o comentarista politico, Rodrigo Constantino, defendeu a posição de Guedes e deu a sua interpretação.

Constantino disse que sabe que muitas pessoas querem fazer uma interpretação de Guedes querendo defender a uma possível ditadura.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro Lula

Mas, na visão dele, essa visão é injusta, pois o ministro estaria no seu momento de desabafo. Rodrigo faz uma análise ao contexto da cena, onde Guedes estaria preocupado com as reformas. Constantino acha isso compreensível por um medo de que no Brasil comece a acontecer o que está havendo em outros países da América Latina: uma convulsão social.

Constantino disse que todo mundo sabe que essas manifestações que chamou de “baderneiras” tem motivações de uma esquerda mais radical, que está fazendo essas manifestações de forma, totalmente, intencional.

Constantino ainda disse que a presidente do PT (Partido dos Trabalhadores), Gleisi Hoffmann, já estaria dizendo em trazer esses agentes para o Brasil e fazer os protestos semelhantes aos que estão acontecendo no Chile.

Então, segundo Constantino, a fala de Guedes precisa ser analisada dentro desse contexto. O que o ministro está dizendo é que a irresponsabilidade da esquerda querer fazer isso, não aceitar que perdeu nas eleições e com dez meses de Governo querer transformar o Brasil em um estado caótico.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo