Na última segunda-feira (2), o Instituto Aço Brasil, responsável por representar a indústria do aço em território nacional, afirmou que recebeu com surpresa as falas de Donald Trump a respeito do fato de que os Estados Unidos voltarão a aplicar taxas no produto vendido pelo Brasil.

De acordo com o instituto, a medida é uma retaliação por parte do Governo do país e completamente incoerente com a relação de parceria estabelecida entre Brasil e Estados Unidos.

Os representantes do instituto chegaram até mesmo a afirmar que a medida adotada por Trump será capaz de prejudicar a indústria do aço nos Estados Unidos, visto que existe a necessidade de semiacabados exportados para que as usinas consigam funcionar perfeitamente.

Na última segunda-feira, Donald Trump usou as suas redes sociais para fazer acusações sobre o Brasil e a Argentina. Na ocasião, o presidente dos Estados Unidos destacou que os dois países são responsáveis por uma desvalorização das suas moedas e afirmou que passará a taxar a importação do alumínio e do aço.

Devido a essas afirmações, o Instituto Aço Brasil emitiu uma nota comentando sobre a liberdade de câmbio em território nacional, de forma que não existe qualquer tipo de iniciativa governamental vinculada à desvalorização artificial da moeda brasileira.

Assim, a decisão de Trump se trata de uma retaliação e não de uma compensação os agricultores estadunidenses, como o presidente afirmou.

O portal G1 chegou a ouvir alguns especialistas no assunto, que rebateram as afirmações de Donald Trump. Na ocasião, tais analistas pontuaram que um dos fatores que explica a disparada do dólar no Brasil é a queda do diferencial de juros que acontece entre o país e os Estados Unidos.

Os analistas ainda pontuaram as crescentes tensões políticas ocorridas recentemente na América Latina como fatores capazes de impactar esses pontos.

Exportações para os Estados Unidos

Atualmente, o Brasil está entre os principais responsáveis por fornecer aço e ferro aos Estados Unidos.

As taxas ligadas à exportação, no presente momento, estão entre 0,9% para o aço e 2% para o alumínio, conforme os dados divulgados pela BBC Brasil.

De acordo com Trump, a sua medida será colocada em prática imediatamente, mas ainda não se tornou claro se a taxa relativa aos produtos do Brasil será igual à adotada em um determinado período de 2018, que equivalia a 10% sobre o alumínio e 25% sobre o aço. Também não se sabe uma data exata para que a medida entre em vigor.

Em agosto de 2018, Trump anunciou um alívio nas cotas ligadas à importação de aço que excedam as cotas livres de sobretaxas. Essa decisão acabou atingindo a Argentina, o Brasil e a Coreia do Sul.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!