O incêndio no Museu da Língua Portuguesa em 2015 foi um dos grandes episódios que marcaram a cidade paulista naquele ano. Apesar do mesmo já se encontrar fechado naquela época para manutenção, o acontecimento provocou muita indignação da sociedade paulista, que cobrava uma maior valorização dos espaços culturais no país.

O incêndio reacendeu o debate em torno da precarização que os órgãos culturais enfrentam no Brasil, principalmente relacionados à preservação histórica. Apesar do incêndio, nada foi perdido em decorrência de ser tudo digitalizado.

O corpo de bombeiros informou na época que o incêndio destruiu o primeiro e o segundo andar, onde logo em seguida o teto de madeira desabou.

Inquérito não apontou culpados

O incêndio aconteceu em 2015, mas os resultados do inquérito só foram concluídos em 2019, três anos depois da tragédia que culminou na morte de um militar do corpo de bombeiros. O laudo do Instituto de Criminalística (IC) não apontou culpados, dando como justificativa do incêndio um defeito num dos holofotes do prédio. O inquérito foi registrado no 2º Distrito Policial (DP), em Bom Retiro, como "incêndio e morte suspeita a esclarecer", como relata o portal G1.

Apesar de haver apontamento de culpados no inquérito, o prédio onde fica o museu não possuía autos de vistoria dos Bombeiros. De acordo com imagens gravadas de uma câmera de segurança, o incêndio teria começado por volta 15h50.

Governo de SP entrega as obras do museu

Após quase quatro anos do acontecimento, as obras do museu terminaram e o governador João Doria (PSDB) entregou, nesta segunda-feira (16), as obras de reconstrução e recuperação do Museu da Língua Portuguesa.

Localizado na Luz, região central de São Paulo, o museu ressurge com uma pegada mais dinâmica, de modo a deixar o local mais intuitivo do que antes para os visitantes.

A estrutura arquitetônica teve um custo de R$ 65 milhões, sendo que R$ 34 milhões partiram da iniciativa privada, graças a aliança solidária entre o Grupo Globo e o Grupo Itaú, feita juntamente com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Com isso, o museu teve um custo total de R$ 81,4 milhões, isso juntando a estrutura arquitetônica e todo o acervo do museu.

Cronograma de reabertura do museu

A reabertura do museu deve acontecer no dia 25 de junho de 2020, em uma festa que contará com convidados de todos os países de língua portuguesa. No dia seguinte, 26, será a vez dos trabalhadores e suas famílias conhecerem esse novo espaço, além dos professores de português. Por fim, no dia 27, o espaço será reaberto para o público em geral.

Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Educação
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!