Um vídeo que viralizou nas redes sociais gerou bastante controvérsia entre os internautas que apoiam o Governo e aqueles que são contra o mandato do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O vídeo mostra um trecho do programa Jornal Nacional, veiculado pela Rede Globo, nessa segunda-feira (20), no qual o âncora do jornalístico, Willian Bonner, lê uma nota da emissora se posicionando sobre o convite à atriz Regina Duarte para ser secretaria de cultura do Governo Bolsonaro.

Segundo a nota lida por Bonner, entre a atriz e a emissora há um contrato vigente em vigor, e ela deve saber que se escolher ficar no cargo publico que foi convidada, Regina deve pedir a suspensão deste contrato pela empresa, como diz a regra da Rede Globo.

Segundo Bonner, essa é a regra interna da empresa das quais que todos os colaboradores estão cientes.

O convite feito por Bolsonaro se mantêm desde sexta-feira, e, ao que tudo indica, foi aceito pela atriz, ela assumiria o cargo de secretaria especial da cultura, logo depois da polêmica gerada pelo vídeo divulgado pelo então secretário Roberto Alvim. Regina Duarte teve uma conversa na manhã da ultima segunda-feira (20) com o presidente, no Rio de Janeiro, e falou que ainda se estar “noivando” com o novo cargo e o governo Bolsonaro.

Regina Duarte tem 72 anos, 54 anos tem de carreira. Também é mãe de três filhos e é avó de seis netos.

Repercussão do vídeo

Depois que a Rede Globo se posicionou sobre o convite que a atriz Regina Duarte recebeu através em nota lida por Bonner no Jornal Nacional, as redes sociais se criou uma polêmica e muitos internautas começaram postar ironias sobre o caso. Regina Duarte, porém, ainda não se posicionou sobre a nota emitida pela Rede Globo.

Toda essa polêmica começou da sexta-feira (17), logo após a demissão do dramaturgo Roberto Alvim do cargo de secretário especial da cultura, depois de um vídeo polêmico que o próprio Alvim divulgou na sua conta no Twitter.

O vídeo se tratava da divulgação do Prêmio Nacional das Artes, e, no discurso de Alvim, existem frases que remetem ao mesmo discurso que o ministro da propaganda nazista, Joseph Goebbels, fez.

Não foi só as frases, no vídeo, além de Alvim falar do lançamento do Prêmio Nacional das Artes, ele deixou bem claro o que seria o ideal de arte para a pasta. Também, para musica de fundo, Alvim coloca uma opera de Richard Wagner, um compositor alemão antissemita, que era o preferido do ditador nazista Adolf Hitler.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!