Preocupadas com a morte de 38 macacos, as autoridades do Ministério da Saúde, orienta às populações das regiões sul e sudeste do País, a se vacinarem contra a febre amarela. Os macacos foram encontrados mortos nos estados do Paraná, São Paulo e Santa Catarina. Segundo informações desse órgão governamental, o Brasil registra um total de 1.087 casos de mortes suspeitas de chimpanzés. Os dados foram divulgados pela Pasta nesta quarta-feira (15).

A Pasta acompanha casos da doença de julho de 2019 ao dia 8 de janeiro de 2020.

Neste espaço de tempo foram registrados 327 casos de febre amarela na espécie humana. Uma pessoa morreu e 50 situações para a doença estão sendo investigadas. O macaco é indicativo para as autoridades de Saúde da existência do vírus em determinadas localidades. Ano passado o Ministério da Saúde colocou 16 milhões de dose de vacina contra fere amarela à disposição da população. Este ano a Pasta já comprou 71 milhões de doses.

A atenção das autoridades de saúde com as regiões Sul e Sudeste do País, deve-se ao fato de que juntas, essas localidades possuem grande contingente populacional, de cuja cobertura vacinal para a doença ficou abaixo da expectativa, facilitando a incidência de casos de febre amarela.

Devem ser vacinadas crianças desde os nove meses de idade, até adultos com 59 anos de idade. Crianças com quatro anos de idade devem receber um reforço na medicação.

Os casos da doença apresentados no Brasil são de vertente silvestre, transmitidos por mosquitos sobreviventes no campo ou em floresta. Histórico da febre amarela registra casos da doença transmitida pelo mosquito aedes aegypti, no ano de 1942, no Estado do Acre.

O Ministério da Saúde disponibiliza nas Unidades de Saúde, a vacina para a população interessada em se imunizar contra a doença.

Segundo informações do G1, o Ministério da Saúde vem trabalhando no estado do Paraná na investigação de quatro casos suspeitos de febre amarela. O Ministério da Saúde esperava cobertura vacinal em 2019, no Paraná de 95%, porém o resultado foi de 81,7%. O alerta do Ministério da Saúde se estende também, aos moradores ou visitantes de áreas com matas ou que pretendem viajar para localidades com risco da doença.

Sintomas causam perda de apetite e dores musculares

Ainda conforme o G1, na fase inicial a febre amarela dos tipos urbana ou silvestre, apresenta sintomas que se espalham pelo corpo, como, febre, dores de cabeça, perda de apetite, vômitos, dores musculares. Na fase tóxica, os olhos e a pele tornam-se amarelos, e as febres possuem altas temperaturas. Dessa doença resultam ainda, sangramento da boca, nariz, olhos e estômago. Dores abdominais, e acometimentos do fígado e dos rins, também são causas de transtornos para esse doente.

Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!