No último sábado (28), o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fez um novo pronunciamento acerca do coronavírus no Brasil. De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, Mandetta chegou a advertir Jair Bolsonaro e afirmou que a COVID-19 não se trataria de uma "gripezinha". Em uma reunião que contou com a presença do presidente da República e de alguns ministros, Mandetta traçou um paralelo sobre o número de mortes no Brasil. O Ministro da Saúde pediu para que Bolsonaro criasse um "ambiente favorável" para que se firmasse um pacto entre Governo federal, estados e municípios, a fim de trabalharem juntos e buscarem medidas contra o coronavírus.

O objetivo do pacto seria unificar as regras em todo o país, sempre respeitando os critérios científicos para realizar o controle do contágio.

Mandetta exemplifica impactos da COVID-19

Ainda segundo o jornal O Estado de São Paulo, Luiz Henrique Mandetta fez um paralelo a nível de comparação acerca dos impactos das mortes causadas pelo coronavírus. O Ministro da Saúde afirmou que a morte de 1.000 pessoas acometidas pelo vírus, seria equivalente à queda de 4 aviões comerciais de grande porte. Com uma fala franca, Mandetta questionou a Bolsonaro: "Estamos preparados para o pior cenário, com caminhões do Exército transportando corpos pelas ruas? Com transmissão ao vivo pela internet?". O Ministro sugeriu, ainda, que fossem criadas centrais de pessoas que pudessem remanejar leitos, respiradores, médicos e enfermeiros de forma rápida entre estados.

Mandetta pediu para que Jair Bolsonaro não minimize a gravidade da pandemia através de manifestações públicas, e que caso isso ocorresse, poderia criticá-lo em sua resposta. Bolsonaro rebateu a fala do Ministro e afirmou que neste caso, o demitiria. Mandetta afirmou que não pediria demissão do cargo, mas que havia a hipótese de deixar o Ministério da Saúde após o fim da crise.

O Ministro ressaltou, ainda, que não usaria um possível sucesso na administração da crise para fins políticos, pois não teria pretensão em reivindicar posição de destaque.

Números no Brasil

De acordo com o site G1, até a noite do último sábado (28), o Ministério da Saúde divulgou 3.904 casos confirmados de pessoas infectadas pela COVID-19, e 114 mortes.

O estado de São Paulo concentra 1.406 casos, e o Rio, 558. O Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou durante seu último pronunciamento, que não está com a COVID-19, e que vem realizando testes com frequência. Mandetta reforçou a necessidade do isolamento social a fim de frear a velocidade de propagação do vírus. Até o momento, a taxa de letalidade do vírus está em torno de 2,8%.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!