Na noite desta terça-feira (28), o presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido) voltou a mencionar sobre seu atentado sofrido em 2018, quando estava realizando uma passeata para sua campanha presidencial. De acordo com informações, Bolsonaro se reuniu com alguns jornalistas e apoiadores do governo na saída do Palácio do Planalto, onde informou que as investigações sobre o caso serão reabertas.

“Vai ser reaberta a investigação. Foi negligenciado. Foi a conclusão. Foi um lobo solitário. Como pode um lobo solitário com três advogados? Quatro celulares?

Inclusive, andando pelo Brasil”, questionou o presidente da república. O autor do atentado, que foi identificado como Adélio Bispo, foi preso pelo crime cometido. Informações apontam que o homicida está em uma clínica psiquiátrica, pois foi constatado que o indivíduo não possui discernimento para cumprir a prisão em uma penitenciária brasileira.

O inquérito da Polícia Federal informou que o autor da facada agiu sozinho, sem orientação de ninguém. Mesmo com essas declarações, Bolsonaro entende que houve algum mandante para o ato criminoso.

Atentado contra Bolsonaro

Ainda como candidato a presidência da república no ano de 2018, Bolsonaro passou por momentos difíceis após sofrer um atentado contra sua vida enquanto realizava uma passeata nas ruas em Juiz de Fora, Minas Gerais.

Quando o ato criminoso foi realizado, Bolsonaro chegou a ser encaminhado para uma unidade hospitalar, tendo em vista a gravidade do ferimento causado pela faca.

O político chegou a ficar alguns meses internado. Nesse período de internação, seus filhos usavam as redes sociais para atualizar informações a respeito do estado de saúde de seu pai, Bolsonaro, onde muitas pessoas se solidarizaram sobre o respectivo ato e pediram para que a justiça fosse realizada sobre os mandantes do crime.

Por sofrer o atentado, Bolsonaro ganhou bastante seguidores em suas redes sociais.

Muitos analistas informaram que o político ganhou notoriedade com a população brasileira após sofrer o atentado provocado por Adélio Bispo.

Bolsonaro e outros problemas

Além da reabertura do inquérito a respeito do atentado, Bolsonaro continua a se posicionar a respeito dos atuais problemas no Brasil.

Ainda na entrevista nesta terça-feira (28), o presidente ainda informou que 'não tem muito ao que fazer' sobre o aumento das mortes no país em razão da proliferação do novo coronavírus. Doença essa que já vitimou milhares de pessoas ao redor do mundo.

O Brasil já registrou cerca de 5.083 mortes e pouco mais de 73.166 casos confirmados. Ainda não tem previsão para a retomada das atividades profissionais no país.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!