Através de uma rede social, o presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), criticou a OMS (Organização Mundial da Saúde) por incentivar atos impróprios para menores de idade. De acordo com informações do portal UOL, o presidente entende que a OMS incentiva a sexualidade infantil para as crianças.

“Essa é a Organização Mundial da Saúde (OMS) que muitos dizem que devo seguir no caso do coronavírus. Deveríamos então seguir também suas diretrizes para políticas educacionais?”, dizia um trecho da publicação. Por conta da repercussão do caso, o presidente acabou excluindo 20 minutos após a postagem, mas algumas pessoas conseguiram salvar a publicação e repostaram em outras plataformas digitais.

Ainda como deputado federal, Bolsonaro criticava a forma de incentivo nas escolas públicas do Brasil em relação à sexualidade, onde o parlamentar usava um caderno que estaria sendo distribuído nas salas de aula e criticava tal fato durante as entrevistas em que participava para falar sobre seu possível mandato como presidente.

Bolsonaro e coronavírus

Recentemente, o atual chefe do executivo vem destacando os problemas relacionados à pandemia do novo coronavírus. Virus esse que continua vitimando muitas pessoas no Brasil. O Ministério da Saúde atualiza os dados em relação aos vitimados da doença. Baseando nas últimas informações apresentadas, o país registrou 5.511 mortes, 34.132 recuperados e 79.361 casos confirmados.

São Paulo e Rio de Janeiro continuam sendo as regiões mais afetadas com o vírus. Durante algumas coletivas de imprensa, Bolsonaro tem questionado alguns repórteres e dito que não há o que fazer para evitar que novas pessoas sejam mortas com a doença. ''Meu sobrenome é Messias, mas eu não faço milagres'', informou o presidente.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!