Segundo informações fornecidas pelo jornal O Globo, atualmente, o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta não está contando com o apoio dos demais ministros, em especial da ala militar do Palácio do Planalto, em sua linha de combate à pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o jornal, os militares chegaram a se referir à entrevista concedida por Mandetta ao "Fantástico", ainda no último domingo (12), como uma “molecagem” e também como um ato de “covardia”. Durante a entrevista, o ministro da Saúde voltou a se posicionar de forma contrária a Jair Bolsonaro no que se refere às medidas necessárias para conter os avanços da Covid-19 no Brasil.

Portanto, é possível afirmar que, para os militares, essa postura por parte de Luiz Henrique Mandetta seria algo inaceitável por significar uma insubordinação a uma figura de autoridade em posição de superioridade em relação a ele.

Em momentos anteriores à crise, o Governo federal chegou a fazer recomendações para que as coletivas de imprensa do ministro fossem realizadas dentro do Palácio do Planalto e comandadas por Walter Braga Netto, o atual ministro da Casa Civil.

Entretanto, a decisão de Mandetta de burlar essa ordem e conceder uma entrevista ao Fantástico, para a ala militar dos ministros, foi algo arrogante e que demonstrou uma atitude de enfrentamento perante a postura do presidente da República Jair Bolsonaro.

General afirma que existe a necessidade de ponderar

Atualmente, o principal conselheiro de Jair Bolsonaro é o ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional. Ele chegou a ponderar que existe a necessidade de ponderar o clima antes de definir se Luiz Henrique Mandetta permanece ou não no cargo de ministro da Saúde.

A afirmação em questão foi feita ainda na manhã da última segunda-feira.

De acordo com o site Conversa Afiada, Heleno chegou a fazer uma ponderação a respeito do assunto em questão e destacou que é necessário ponderar a situação apesar de todas as provocações que foram feitas a respeito da visita de Jair Bolsonaro à padaria.

Entretanto, Mandetta continua repetindo as mesmas recomendações que já havia feito à população para o combate ao novo coronavírus, como o isolamento social. Ainda segundo o Conversa Afiada, existem expectativas de que uma reunião entre Jair Bolsonaro e os seus ministros aconteça ainda essa semana.

O objetivo da reunião em questão será determinar quais serão os rumos adotados para o Ministério da Saúde daqui para o futuro. A demissão de Luiz Henrique Mandetta ainda não é algo que foi completamente descartado e pode vir a acontecer dependendo do que for definido na reunião em questão, especialmente após a perda do apoio dos militares.

Siga a página Política
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!