O atual presidente da república, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), foi considerado como o pior líder a enfrentar o coronavírus, uma vez que que o chefe de estado minimiza a Covid-19, de acordo com o Jornal norte-americano The Washington Post.

O resultado da pesquisa foi divulgada na última terça-feira (14). O chefe do executivo foi eleito após ser contrário às medidas de isolamento do novo coronavírus. Para Bolsonaro, esse momento de pandemia irá acarretar em possíveis problemas para os cofres públicos do país.

Bolsonaro, inclusive, chegou a usar suas redes sociais e até mesmo parte do pronunciamento ao vivo para pedir o retorno das atividades profissionais no país, mas foi bastante hostilizado por parte da população, tendo em vista que o vírus continua deixando centenas de vitimas no país.

A editorial do jornal ainda mencionou parte do pronunciamento do chefe do executivo no inicio da proliferação do coronavírus, onde ele atrelou as consequência do vírus como uma simples ''gripezinha'' ou ''resfriadinho''.

O jornal norte-americano também também mencionou o atual presidente da república do Estados Unidos, Donald Trump, para que ele aconselhasse Bolsonaro em razão da proliferação do vírus no Brasil. O presidente americano, que era contra a medida, passou a apoiar ações recomendadas por profissionais de saúde para combater o avanço do vírus.

Bolsonaro e problemas

Nos últimos dias, o chefe do executivo está enfrentando alguns problemas em razão do vírus que se instala no território nacional.

Após ter um posicionamento diferente, muitas pessoas estão hostilizando Bolsonaro através de 'panelaços' em casa, que foi um ato de manifestação encontrada, tendo em vista que é proibido aglomerações nas ruas.

Além de ser rejeitado por parte da população, o atual presidente da república está escolhendo novos possíveis nomes para substituir o novo ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

A possibilidade da substituição surgiu após o médico ser contrário as decisões de Bolsonaro em razão da retomada de parte das atividades profissionais.

Para Mandetta, o Brasil não pode retomar parte das atividades profissionais, já que o vírus continua proliferando a cada dia no país. No último domingo (12), o ministro da Saúde concedeu uma entrevista ao 'Fantástico', programa jornalístico da Rede Globo, onde o médico proferiu algumas críticas em relação a forma que o atual presidente da república estaria se posicionando para combater o vírus.

Em uma parte da entrevista, Mandetta disse: ''o brasileiro não sabe se acredita no ministro da Saúde ou no presidente da república''. Um dia após a entrevista, Bolsonaro foi questionado sobre as falácias do ministro durante a entrevista, mas o chefe do executivo informou que não acompanha programas da Rede Globo de Televisão.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!