Sobre a possível extinção do PT (Partido dos Trabalhadores), o vice-procurador-geral eleitoral, Renato Brill de Góes, deu parecer favorável à ação que pede cassação do registro do partido. Isso foi de acordo com algumas informações baseadas na Lei dos Partidos Políticos, que prevê cancelamento de legendas que tenham recebido recursos estrangeiros.

O pedido de cancelamento foi registrado no final do mês de março, onde alegava que “no curso da operação Lava Jato ficou demonstrado que o PT recebeu recursos de origem estrangeira”. A respeito do caso, muitos parlamentares pertencentes ao partido estão se posicionando contrário à decisão.

Pelas redes sociais, a atual presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), informou que a ação de extinção do partido é inconstitucional, onde ela irá tomar providências para que o PT não perca espaço entre os outros partidos. Até o fechamento dessa matéria, nenhum outro político se manifestou sobre o respectivo caso.

Até então, esse é um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Simpatizantes do PT estão mobilizando as redes sociais para que medidas sejam tomadas para o não cancelamento do registro do partido. Por outro lado, muitos internautas que são da oposição estão comemorando. O caso está sendo bastante discutido e dividindo opiniões.

Lula

O ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mostra-se bastante interessado nos problemas do país.

Pelas suas redes sociais, o petista 'cutuca' a forma que o atual presidente, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), administra as questões relacionadas ao novo coronavírus. Após Bolsonaro declarar que o objetivo maior do Governo seria a economia e não a proliferação do vírus, Lula se posicionou pelo seu Twitter.

O petista declarou que Bolsonaro não possui condições para tomar algumas decisões.

Com isso, ele cogitou a possibilidade de pedir o impeachment do atual presidente se medidas emergenciais não fosse tomada mediante ao coronavírus. A respeito das palavras ditas pelo ex-presidente, o chefe o executivo não se posicionou sobre o caso.

Coronavírus

Nas últimas semanas, os governantes brasileiros decretaram situação de quarentena em todo território nacional em decorrência do novo coronavírus.

Com isso, muitas empresas fecharam as portas e mandaram seus funcionários para casa, onde muitos não irão receber nesse período. Mesmo em momento de quarentena, muitas pessoas continuam trabalhando normalmente.

De acordo com algumas informações do Ministério da Saúde, o país registrou cerca de 553 mortes, pouco mais de 12 mil casos confirmados e 127 pessoas curadas. São Paulo é o estado mais afetado com a proliferação do vírus, registrando 275 mortes.

Siga a página Política
Seguir
Siga a página PT
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!