Na noite do último domingo (19), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), se defendeu das acusações que vem recebendo pelo fato de que o mesmo não assinou uma carta que foi escrita pelos governadores brasileiros, que vão contra declarações que estão sendo feitas pelo presidente Jair Bolsonaro, em relação ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e sobre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Com a falta da assinatura do governador mineiro, o mesmo se tornou alvo de várias críticas nas redes sociais por não ter feito parte da carta, que foi assinada por vários governadores dos estados brasileiros.

Diante da chuva de críticas direcionadas ao governador de Minas Gerais, que foi o único da região Sudeste que se esquivou do documento aberto, o mesmo precisou responder aos comentários que foram feitos em relação a ele.

Através de seu perfil oficial do Twitter, Zema resolveu responder os questionamentos das pessoas a respeito de não ter assinado o documento, e por corroborar à postura que vem sendo adotada pelo presidente da República diante da situação da crise atual do país, quando, no último domingo (19), Bolsonaro esteve em meio a manifestações de apoiadores de seu Governo que pediram pelo retorno da ditadura militar, pelo fim do isolamento social e fechamento do Congresso.

Zema se defende de críticas

O governador justificou sua postura alegando que ele não ter assinado a carta não faz com que a sua luta ou "apreço" pela democracia sejam diminuídos.

Ele ainda aproveitou o momento para ressaltar que não é favorável à volta do regime militar e que não consegue imaginar como ainda nos dias de hoje um discurso contra a Democracia possa ter eco desta forma.

Ainda na declaração, Zema esclareceu que não vai discutir o relacionamento dos líderes do Congresso com a instância federal.

Em seu comunicado, Zema esclareceu que tem como compromisso a construção de pontes em Minas Gerais com os chefes de poderes através de uma relação amistosa, republicana e respeitosa. O governador deixou claro ainda que tem como compromisso de seu governo a vida e a liberdade do povo mineiro.

Carta em defesa do Congresso e do Senado

A carta foi assinada por vinte governadores, em apoio aos presidentes da Câmara e do Senado, contra declarações que foram feitas por Bolsonaro.

Entre os governadores que assinaram o documento público estão Wilson Witzel, do Rio de Janeiro, e João Doria, de São Paulo, ambos governadores que apoiaram Jair Bolsonaro durante a campanha do atual presidente da República.

No documento, os chefes dos executivos estaduais denunciam a afronta feita aos princípios democráticos da nação. Os governadores ainda declararam no documento que Maia e Alcolumbre estão se mostrado dispostos a dar apoio para os municípios e estados na luta contra o coronavírus e os efeitos que estão sendo causados pela pandemia.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!