Nessa última sexta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), falou em uma entrevista, que admite que falou “`PF” na reunião ministerial do dia 22 de abril. Por outro lado, explica que a posição que abordou o tema da Polícia Federal foi na questão da segurança pessoal da sua família e não alguma interferência de investigações ou de outra ordem dentro da PF.

Informações do G1 dizem que Bolsonaro teria dito, no início da mesma semana, que não teria dito em nenhum momento “Policia Federal” dentro dessa reunião. Lembrando que o vídeo que mostra essa reunião ministerial acontecida no dia 22 de abril está sob investigação do STF (Supremo Tribunal Federal) para apurarem denúncias do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, por acusação de tentativa de interferência na Polícia Federal pelo presidente da República.

Questionado com outras perguntas sobre o mesmo tema, o presidente enfatiza que deseja que as suas falas no vídeo sejam mostradas ao público, para que seja interpretada de forma correta dentro da reunião. Bolsonaro disse que espera que a gravação se torne pública, que uma análise mais correta seja feita. A interferência não era no contexto na parte da inteligência da Polícia Federal, e sim, na segurança da sua família. E enfatiza, que está bem claro na gravação.

E quando um jornalista tentou fazer uma pergunta sobre a negação do ministro Augusto Heleno do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) de mudar sua segurança – já que Bolsonaro disse que fez ameaça de demissão ao chefe da sua segurança e não da Polícia Federal – o presidente interrompeu duas vezes e logo depois terminou a entrevista.

Segundo consta, o Gabinete de Segurança Institucional é responsável pela segurança do presidente da República e não a PF.

Na transcrição que foi feita do vídeo dessa reunião, que foi entregue para a Advocacia-Geral da União (AGU), o presidente falou que tentou fazer a troca de pessoas da segurança deles no Rio de Janeiro, mas não tiveram sucesso.

Essa transcrição revela que Bolsonaro falou que, se ele não conseguisse fazer essa mudança iria demitir o ministro. Nessa transcrição não é mencionado nenhum nome.

Por que esse vídeo é importante

Essa reunião que está em gravação em vídeo foi mencionada no depoimento do ex-ministro Sergio Moro dentro do conteúdo do inquérito aberto onde o STF está investigando uma suposta tentativa de interferência de Bolsonaro dentro da Polícia Federal.

Bolsonaro, dentro da mesma reunião, teria feito exigências para trocarem o superintendente da Polícia Federal carioca, pelo motivo de evitar algumas investigações que envolviam seus familiares.

Esse vídeo está em sigilo desde quando o STF o recebeu na sexta-feira (8) e já foi mostrado em uma única vez, em modo reservado aos ministros do Supremo e também, aos procuradores da República, além do ex-ministro Sergio Moro e a AGU. Pessoas que estavam na exibição desse vídeo disseram que as imagens mostram Bolsonaro muito alterado e usando vários palavrões, além disso, faz ameaças de demitir defendendo a troca do comando da Polícia Federal do Rio de Janeiro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!