O mistério sobre os resultados dos exames para coronavírus do presidente Jair Bolsonaro pode estar perto de ser encerrado. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a Advocacia-Geral da União (AGU) entregou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o resultado de três exames feitos pelo presidente para saber se teve ou não Covid-19.

Na última terça-feira (12), o presidente havia entregado dois exames que haviam sido feitos em março, após uma viagem oficial aos EUA. Já nesta quarta-feira (13), um terceiro exame feito por Bolsonaro foi entregue pela AGU. Segundo a mesma, os resultados dos exames deram negativo.

'Estou fazendo valer a lei', diz Bolsonaro

No Palácio do Alvorada, o presidente foi perguntado sobre a possibilidade de que o STF divulgue os resultados dos exames. Bolsonaro afirmou que a lei o ampara para que estes resultados não venham a público.

"Estou fazendo valer a lei. Somos todos 'escravos da lei', tanto eu como você. A lei diz que, pela intimidade, isso aí [o exame] não poderia divulgar. Por isso sempre me neguei a mostrar", disse o presidente.

Bolsonaro voltou a debochar de críticas ao afirmar que todos aqueles que duvidariam que o presidente da República não tenha pegado o coronavírus irão cair do cavalo. Até mesmo citou o vídeo da reunião ministerial, exibido na última terça-feira na PF, que é o alvo do inquérito sobre as acusações feitas por Sérgio Moro.

"Esse pessoal acha que estou mentindo e vai cair do cavalo. E também vai cair do cavalo sobre esse negócio do video", declarou.

'Está na mão do STF'

O Estadão pediu à Justiça para que Bolsonaro divulgasse os exames de Covid-19 que fez. O STF seria encarregado de analisar tal pedido do jornal, mas a AGU procurou se antecipar e entregar os resultados dos exames feitos pelo presidente.

O terceiro exame, entregue nesta quarta, até então era desconhecido até mesmo da defesa do presidente. Ricardo Lewandowski, ministro do Supremo encarregado de analisar o caso, já está com os exames em mãos e deve analisar se irá divulgar para o público os resultados.

O presidente da República afirmou que depende apenas do STF para que tais resultados sejam mostrados, apesar das diversas negativas presidenciais quanto a exibir o resultado positivo ou negativo de tais exames.

"O meu advogado é o doutor José Levi, da Advocacia-Geral. O ministro Lewandowski vai decidir hoje, ele é que vai decidir se vai dar a liminar, decidir se a gente entrega ou não. Mas já manamos os exames para ele e ele é quem vai decidir o que fazer. Está na mão do STF", comentou.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) havia barrado o pedido do jornal para que os resultados dos exames de Bolsonaro fossem revelados, depois de duas decisões positivas para o Estadão.

Viagem aos EUA provocou pedidos para exame

No começo do ano, uma comitiva oficial da Presidência teve 23 casos de Covid-19 confirmados depois de uma viagem aos Estados Unidos. Destes casos, alguns foram de pessoas do entorno de Jair Bolsonaro, como o general Augusto Heleno (ministro-chefe do Gabinete de Segurança Instituicional) e Fábio Wajngarten (secretário de Comunicação Social da Presidência).

O fato do presidente contrariar diversas normas de restrição internacionais ao causar aglomerações e fazer contato com correligionários também levantou dúvidas sobre os resultados dos exames do presidente, que em entrevista a uma rádio sugeriu que teve o coronavírus, mas "não teria sentido nada".

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!