Nesta segunda-feira (25), o apresentador José Luiz Datena rejeitou o título que lhe foi atribuído como sendo porta-voz do presidente da República, Jair Bolsonaro. O momento aconteceu logo após o presidente ter feito críticas à imprensa e alegar que a Band havia pedido dinheiro para o governo.

A situação aconteceu durante o programa apresentado por Datena, o “Brasil Urgente”, na edição desta segunda-feira. No momento, o jornalista aproveitou para reforçar que não é defensor político e que está disposto sempre a abrir espaço para os dois lados. Ainda foi destacado pelo apresentador que, por ser jornalista, ele é isento e não carrega bandeira de ninguém.

Durante um momento do programa, Datena aproveitou para dar um recado para os telespectadores e alegou que não se considera como sendo ativista político, e que é jornalista. Ele ainda relatou que pela manhã havia entrevistado no rádio o governador de São Paulo, João Doria, e que por causa disso foi chamado de comunista e recebeu várias críticas.

Pela tarde, o jornalista ressalta que entrevistou Bolsonaro, e que logo após isso ligaram para ele alegando que havia "puxado saco" do presidente. O jornalista ainda fez questão de se justificar alegando que não é de direta nem de esquerda, e que ele é a favor da Constituição. "Não sou ativista político. Não sou de direita, nem de esquerda, nem de centro.

Sou jornalista", disse no seu Twitter.

Datena se exalta com presidente da Caixa

Na última sexta-feira (22) Datena se exaltou ao vivo no programa enquanto eram mostrados os vídeos da reunião ministerial.

No encontro que aconteceu em abril deste ano, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, alegou que a Band havia pedido dinheiro para o governo, no entanto, não foram dados mais detalhes a respeito do assunto.

O jornalista, no entanto, ficou alterado ao ouvir a respeito do fato que foi apontado por Guimarães, perdeu a paciência com as acusações que foram feitas e prometeu que nunca mais iria entrevistar Jair Bolsonaro devido a isso.

A respeito disso, Datena alegou que a sua declaração de que não entrevistaria mais Bolsonaro não era devido a questões políticas, e que ele é uma jornalista isento. Em seguida, o apresentador alegou que não carrega bandeira alguma e que nunca foi porta-voz do presidente.

Para se justificar, Datena ainda pontuou que nunca foi porta-voz para Lula, Temer, Dilma e Collor, e que também não seria agora em relação ao governo de Bolsonaro.

O jornalista destacou que não é inimigo de Bolsonaro, e que a decisão de não entrevista-lo pode até mesmo preservar o bom relacionamento que foi cultivado com o mesmo.

Datena ressaltou que não tem anda contra o presidente brasileiro, mas que não gostou nada do que foi dito pelo presidente da Caixa durante a reunião em questão que aconteceu com os ministros do governo de Bolsonaro, e que foram divulgados na última semana após decisão judicial.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!