Neste sábado (6), o presidente da república Jair Bolsonaro (sem partido) aterrissou com dois helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB) na BR-020, em Planaltina (DF), situada a 52 quilômetros do centro de Brasília, para acompanhar uma blitz da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Bolsonaro estava sem máscara e acompanhado pelo pastor Silas Malafaia e alguns dos seus ministros. O presidente se aproximou da aglomeração de pessoas para atender pedidos de fotos e foi indagado por jornalistas de plantão sobre os 35 mil mortos em decorrência do coronavírus e sobre as mudanças na divulgação dos dados nacionais, mas Bolsonaro não lhes respondeu.

O presidente Bolsonaro abraçou e tirou fotos com os policiais e as pessoas que ali estavam. Sua presença aconteceu em Formosa numa visita ao Comando de Artilharia do Exército nos arredores de Brasília.

Brasil bate recordes de mortes por Covid-19

O Brasil registrou 1.005 novas mortes por Covid-19 na última sexta-feira (5). Foram dois dias seguidos de recordes, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, totalizando 35.026 em todo o país.

As divulgações dos dados que antes aconteciam diariamente às 19h passaram a serem feitas às 22h desde esta sexta (5), por ordem do presidente Bolsonaro que afirmou que ‘acabou a matéria no Jornal Nacional da TV funerária', em referência à Rede Globo de Televisão.

Em resposta ao presidente, a Globo divulgou uma nota sobre as declarações afirmando que os espectadores serão informados sobre os números 'tão logo sejam anunciados', conforme a edição do Jornal Nacional. O plantão Globo entrou no ar com o jornalista William Bonner, durante a novela das 21h assim que os dados do Ministério da Saúde foram divulgados.

Até o momento dessa reportagem o site do Ministério da Saúde que apresenta os dados da doença está fora do ar.

Em seu Twitter, o presidente afirmou que o Ministério da Saúde fez uma adequação na divulgação dos dados’ referentes à pandemia do Covid-19. Assim, para evitar inconsistências e subnotificação, a pasta optou pela divulgação às 22h, quando os fluxos estão melhor padronizados, adequados e podem ser divulgados com maior precisão.

Bolsonaro ameaça tirar o Brasil da OMS

O presidente Jair Bolsonaro ameaçou retirar o Brasil da Organização Mundial de Saúde (OMS), conforme reportagem divulgada pelo G1. Para ele a ação da OMS tem ‘viés ideológico’ e enfatizou que não ‘precisamos de ninguém de fora para dar palpite sobre a saúde brasileira’.

O Brasil registra cerca de 645 mil casos com aproximadamente 36 mil mortes por Covid-19, mesmo assim o presidente insiste em não aumentar as medidas de confinamento a nível nacional.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!