O ex-presidente Lula (PT) criticou a atuação do atual presidente da república Jair Bolsonaro (sem partido), alegando que Bolsonaro é a própria crise do Brasil.

No dia 2 de abril deste ano, Lula já havia se manifestado em defesa de um estado forte, necessário para a tomada de decisões, e um estado democrático que fosse capaz de executá-las.

Nesta sexta-feira (26), o ex-presidente se manifestou novamente sobre a necessidade do estado forte para o combate à pandemia da Covid-19.

Videoconferência

Lula participou de uma videoconferência da Universidade de Ciências Sociais de Buenos Aires, onde o futuro pós pandemia foi discutido.

Em meio à críticas relacionadas ao nosso atual governo, o ex-presidente elogiou o trabalho de Alberto Fernández, presidente da Argentina.

Além de Lula e Fernández, outros grandes nomes participaram da conferência. Entre eles Adolfo Pérez Esquivel (Prêmio Nobel Da Paz), a jurista Carol Proner e Nicolás Trotta, ministro da educação da Argentina.

Segundo Lula, é responsabilidade do estado organizar a sociedade para o enfrentamento da pandemia, oferecendo os recursos necessários. Para o ex-presidente a democracia é única capaz de salvar a América Latina no período pós-pandemia. Ele também afirma que o novo coronavírus mostrou que o mercado não resolve nada. A democracia precisa ser recuperada na América, pois quem cuida do povo é o estado, segundo o ex-presidente.

Bolsonaro não foi citado diretamente em nenhum momento durante a videoconferência, porém críticas ao governo federal em relação às ações tomadas para o combate a pandemia foram feitas por Lula.

Elogiando a quantidade de vidas salvas na Argentina graças às ações tomadas pelo governo, Lula diz que o Brasil tem ministros que não pensam em proteger o povo e um presidente que faz piadas relacionadas à tragédia.

Mesmo que a pandemia de coronavírus seja um fenômeno natural, Lula defende que a solução é um problema dos governantes e a troca constante de ministros no governo, principalmente na área de saúde, mostram uma gestão despreocupada com a pandemia. O fato de militares estarem cuidando da saúde, sem nenhum tipo de conhecimento na área, também é um fator preocupante segundo ele.

Argentina

A Argentina foi constantemente elogiada por Lula, pois adotou uma política de confinamento mais restrito, que segundo o presidente Fernández está dando muito certo.

Mencionando os problemas na economia mundial causados pela pandemia, Fernández afirma que muitas empresas estão morrendo, porque dependem do consumo e trabalho de pessoas. O sistema econômico mundial foi botado em xeque.

Para Lula, o governo existe por uma única razão: proteger e cuidar de seu povo. Ele finaliza dizendo que é impossível prever como será o futuro quando tudo isso acabar, mas que tem plena certeza de que todos países que botaram seu povo em primeiro lugar sairão de toda essa crise em situação de vantagem.

Siga a página Lula
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!