O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) esteve nesta sexta-feira (26) em Salgueiro, cidade pernambucana que faz divisa com o estado do Ceará.

Um trecho da transposição do Rio São Francisco foi inaugurado por ele, sem a presença dos governadores do Ceará e de Pernambuco. O convite a Camilo Santana (PT) e Paulo Câmara (PSB) foi feito na véspera do acontecimento, por meio das redes sociais do presidente.

Os governadores comunicaram que não estiveram presentes na inauguração devido à grande quantidade de compromissos nas agendas do Governo, acarretados por conta do combate à pandemia do novo coronavírus.

Eles disseram que, assim que as coisas estabilizarem em relação ao Covid-19, a obra será prestigiada pessoalmente por eles.

Aglomeração

Mesmo com a rigidez no isolamento social e fechamento do comércio desde 20 de junho, a viagem do presidente resultou em aglomeração no aeroporto de Juazeiro do Norte, onde apoiadores receberam Bolsonaro com gritos de "mito".

Bolsonaro chegou ao local usando máscara, que foi retirada em determinados momentos para fotos e gravações de vídeos.

Repercussão

A inauguração do trecho repercutiu imediatamente na web, resultando em uma discussão política entre os apoiadores de Jair Bolsonaro e simpatizantes de Luiz Inácio Lula da Silva, ex -presidente (PT).

O pessoal da oposição usou suas redes sociais para ironizar a atitude de Bolsonaro que, além de posar pra fotos, em rápida entrevista mencionou a inauguração da obra como uma novela que finalmente teve um fim.

Já apoiadores do presidente defenderam a tese de que ele terminou o que o PT abandonou.

Em meio às polêmicas e guerras de hashtags registradas nas redes sociais com o intuito de reivindicar os créditos pela obra, a coluna do jornalista Chico Alves, do portal UOL, procurou Pádua Andrade. Andrade é ex-ministro do governo Michel Temer e foi o último responsável pela obra de transposição antes de Jair Bolsonaro assumir a presidência.

O ex-ministro explicou que o Eixo Norte tem três elevatórias. Temer chegou a inaugurar a terceira, que acabou apresentando problemas, já que algumas placas se soltaram logo após a inauguração. Um projeto de restauração foi realizado durante a gestão, porém não houve tempo para finalizar.

Questionado a respeito do mérito da obra, Andrade não entrou no debate.

A obra é mencionada por ele como a espinha dorsal hídrica do Nordeste, e que mais de 12 milhões de pessoas serão beneficiadas por ela. Andrade parabenizou todos os envolvidos na obra desde os ministros até os presidentes.

Segundo o atual secretário de transporte do Pará, o Eixo Norte da Transposição, inaugurado nesta sexta estava 94% pronto. A obra começou a ser executada pelo ex-presidente Lula no ano de 2007, passando pelas gestões de Dilma, Temer e agora Bolsonaro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!