Nesta segunda-feira (27), o teólogo Leonardo Boff concedeu uma entrevista a Eleonora de Lucena e Rodolgo de Lucena, do site Tutaméia, onde afirmou que o presidente Jair Bolsonaro "tem as características do Anticristo".

Afirmando que o Brasil está sem direção nenhuma, ele diz: "a Escritura, quando fala do inimigo da vida, que usa o nome do Messias para atacar, mentir, enganar seu povo, [diz que] esse é o Anticristo. Mais do que uma pessoa, é um espírito inimigo da vida, inimigo de tudo que é bom".

Crimes

O teólogo falou também sobre os vetos de lei de Jair Bolsonaro na proteção dos povos indígenas durante a pandemia de coronavírus, onde afirmou que o maior crime do presidente foi negar a essa população mantimentos básicos capazes de salvar as suas vidas.

Segundo ele, ao negar aos povos indígenas água, insumos e remédios, o presidente mostra que não considera os índios como gente.

Além de teólogo, Leonardo Boff é escritor, filósofo e professor emérito na Universidade do Estado Rio De Janeiro (Uerj). Conselheiro espiritual e amigo do ex-presidente Lula, o teólogo diz que a população brasileira já é tão sofrida, que não é justo e nem deve ser tolerado que mais cruzes sejam colocadas sobre o povo.

Impunidade

Para o teólogo Leonardo Boff, existe uma omissão por parte das instituições que deveriam proteger o povo contra esse tipo de conduta do Governo, citando o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e também o STF (Supremo Tribunal Federal).

Ainda de acordo com Boof, a Constituição não está sendo respeitada e as instituições estão sendo omissas.

O teólogo lembra que ela não serve para defender letras e sim para defender os direitos e fornecer justiça ao povo brasileiro.

Ao comentar sobre a denúncia realizada contra Bolsonaro em Haia por genocídio e crime contra a humanidade, Leonardo Boff diz que caso ele seja condenado, todas as pessoas que agiram com omissão e largaram a nação brasileira à própria sorte, sem defender a vida, deveriam acompanhar o presidente.

Bispo

Durante a entrevista, o teólogo comentou sobre a Carta aos Brasileiros que foi assinada por 152 bispos eméritos e bispos criticando o governo de Jair Bolsonaro e a economia brasileira comandada por Paulo Guedes.

Boff diz que os bispos estão assumindo a tradição da igreja em nome da defesa pela vida, o que é específico de Jesus Cristo.

Mesmo que a carta seja em linguajar religioso, segundo o teólogo, o grupo de bispos criou um documento político que vê o bem comum da população.

Mencionando a linguagem usada na carta, Boff cita que a palavra criminoso é mencionada mais de uma vez e afirma: "Jair Bolsonaro é um homem antivida".

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!