Nesta segunda-feira (27), o presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Estados Unidos, e deputado democrata Eliot Engel, postou em seu perfil oficial no Twitter que a interferência da família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições norte-americanas é "vergonhosa e inaceitável".

No último domingo (26), o filho do presidente do Brasil, Eduardo Bolsonaro, compartilhou um vídeo em suas redes sociais fazendo campanha à reeleição do atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O material divulgado por Eduardo apresentava imagens de líderes do partido democrata acompanhadas de frases como: "eles te ignoram, riem de você e te chamam de racista", afirmando que o voto da população norte-americana será a prova de que os democratas estão errados.

Entre os líderes mencionados no vídeo estavam o ex-presidente Barack Obama, Hillary Clinton e Bill Clinton.

Eliot Engel

Após a divulgação da campanha para Donald Trump por Eduardo Bolsonaro, o deputado Eliot decidiu se manifestar no Twitter. Em seu post diz que a família Bolsonaro precisa ficar fora da disputa política nos Estados Unidos, alegando que esse roteiro já foi visto anteriormente e que é essa interferência é "vergonhosa e inaceitável".

Eleições norte-americanas

A eleição presidencial nos Estados Unidos ocorrerá em uma terça-feira, no dia 3 de novembro.

O atual presidente Donald Trump tenta a reeleição, porém Trump está disputando contra um forte candidato, Jon Biden. O democrata foi vice-presidente durante a gestão de Barack Obama, e vem liderando as pesquisas de intenção de voto no país. Os números das pesquisas norte-americanas mostram que existe uma chance considerável de Donald Trump perder as eleições para a Casa Branca.

Família Bolsonaro

Apesar de não ser algo comum a interferência de presidentes de outros países e nem a divulgação aberta de apoio a campanhas, a família de Jair Bolsonaro anda na contramão. Ao contrário da maioria dos líderes mundiais, Bolsonaro e filhos são apoiadores declarados do presidente Donald Trump, inclusive Jair Bolsonaro já mencionou que torce pela reeleição do atual presidente, porém afirmou que se Jon Biden for eleito manterá uma boa relação com o novo presidente.

Jair Bolsonaro realizou também uma viagem para o Japão em meados de junho de 2019, onde declarou junto ao filho apoio a Trump.

Os Estados Unidos não são os únicos onde Bolsonaro expressa opinião, no ano de 2019 durante a eleição presidencial da Argentina, Jair Bolsonaro que apoiava Maurício Macri, chegou a dizer que os argentinos escolheram mal e que não cumprimentaria Alberto Fernádez por ter derrotado Macri.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!