Na tarde desta quarta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu uma recuada na defesa do uso da cloroquina para o tratamento da doença causada pelo novo coronavírus.

O presidente Bolsonaro realizou uma transmissão ao vivo direto do Palácio da Alvorada onde falou sobre o medicamento com mais cautela do que de costume. Durante a live ele lembrou à população que a hidroxicloroquina não tem eficácia comprovada cientificamente no tratamento de coronavírus. Ele também afirmou que não pretende fazer campanha da medicação e que não recomenda o uso.

Resultado positivo

Antes de comunicar que havia testado positivo para covid-19 pela segunda vez em novo exame, Bolsonaro diz que a recomendação nesses casos é que as pessoas contaminadas ou com suspeita procurem ajuda médica, afirmando que faz o uso da hidroxicloroquina por indicação de um médico militar.

De acordo com informações médicas, o presidente Jair Bolsonaro apresentou um quadro febril de 38 graus, dores musculares e cansaço físico logo no início do quadro, apresentando uma melhora gradual após a ingestão do medicamento. Bolsonaro confirma que apresentou melhora nos sintomas com o uso da hidroxicloroquina.

Declaração sobre o medicamento

Ainda na transmissão ao vivo, o presidente chega a levantar a hipótese de coincidência e, ao dizer que fez efeito em seu quadro de Saúde, falou mais uma vez da falta de comprovação científica no uso do medicamento.

Bolsonaro também lembrou que nenhuma medicação do mundo é comprovadamente eficaz contra o novo coronavírus, desta forma as diversas hipóteses de tratamentos também seriam uma experiência.

Afirmando que a hidroxicloroquina funcionou em diversos pacientes, ele diz: "Deu certo comigo".

Ao falar sobre os grupos que são contra o uso da substância, Bolsonaro diz acreditar que o uso é contrariado por questões ideológicas e que o fato de ser uma medicação de baixo custo também pode interferir nas manifestações contrárias.

Exames

Desde o início da pandemia de coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizou cinco exames para covid-19.

Os três exames iniciais foram realizados após uma viagem do presidente aos Estados Unidos, onde estava acompanhado de outros nomes do Governo. Nos primeiros exames, Jair Bolsoanro testou negativo, já nos dois últimos, realizados entre a semana passada e esta semana, os resultados confirmaram o diagnóstico.

A primeira dama Michelle Bolsonaro e a filha do casal também foram submetidas a exames para descartar um possível contágio por parte do presidente, no enanto seus exames deram negativo.

Com 65 anos, Jair Bosonaro faz parte do grupo de risco na contaminação do coronavírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!