Nesta quarta-feira (12), a Coalização Negra por Direitos protocolou o pedido de impeachment contra o presidente Bolsonaro que já havia sido anunciado pelo grupo anteriormente. A Coalizão Negra reúne cerca de 150 instituições, além dos coletivos do movimento negro. A formalização do pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro (sem partido) ocorreu com um protesto no gramado da Esplanada dos Ministérios, no Distrito Federal.

Protocolo

O protocolo do pedido contra Jair Bolsonaro foi realizado na Câmara Federal, em Brasília. O pedido pede a cassação do presidente por crime de irresponsabilidade, alegando um verdadeiro genocídio em meio à comunidade negra durante a pandemia.

De acordo com o movimento, a grande maioria das 100 mil vítimas fatais da pandemia de coronavírus faz parte de comunidades de pessoas negras, atingindo de maneira desproporcional esta classe da população, configurando assim o crime de genocídio.

Sheila de Carvalho

A advogada Sheila de Carvalho, uma das integrantes da Coalizão, diz que este é um momento histórico. De acordo com Sheila, é a primeira vez que existe uma junção de negros e aliados antirracistas que ingressam com um pedido de impeachment contra um presidente da República.

A advogada afirma que o grupo tem um leque considerável contra as ações de Jair Bolsonaro que se enquadram em crime de responsabilidade e que o grupo pretende solicitar que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), receba o pedido e abra o processo de investigação.

Maia

A reação de Rodrigo Maia diante da dimensão deste pedido é até então um mistério. Maia relatou anteriormente que vê sim muitos erros de Jair Bolsonaro, porém não vê nos erros a atribuição de crimes. Ele ainda afirmou que Bolsonaro minimizou a pandemia do novo coronavírus e acabou criando um falso conflito.

Sobre a grande quantidade de pedidos de impeachment contra Bolsonaro em sua mesa, Maia garante que eles não foram arquivados, e sim não foram encaminhados ao plenário, com o objetivo de evitar uma crise política que prejudicaria mais ainda o combate à pandemia da covid-19.

Pedidos de impeachment

O atual presidente Jair Bolsonaro é alvo de pelo menos 48 pedidos de impeachment, sem contabilizar este realizado pela Coalizão, sendo a grande maioria apresentada este ano.

Além disso, ele coleciona denúncias na ONU, denúncia na Corte Internacional em Haia, várias denúncias nos Direitos Humanos, diversos pedidos de afastamento do cargo durante a pandemia, acusações de monitorar opositores de grupos antifascistas, processos contra a união por desrespeito de seu governo à classe feminina, entre outras polêmicas.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Lula
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!