Nesta última segunda-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizou um pronunciamento que foi transmitido em rede nacional de rádio e televisão.

Em sua fala, o presidente citou que tem um compromisso com a Constituição, além da preservação da soberania, democracia e liberdade. "Reitero, como presidente da República, meu amor à Pátria e meu compromisso com a Constituição", disse Bolsonaro.

Com duração de cerca de três minutos, o pronunciamento de Bolsonaro foi feito em ocasião do Dia da Independência e gravado no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente.

Em um outro momento da fala do presidente, Bolsonaro ainda afirmou que, nos anos 1960, milhões de brasileiros haviam ido às ruas contra um país tomado pela radicalização ideológica e destacou que neste momento ocorreram greves, desordem social e também corrupção generalizada.

Em 1964, porém, ocorreu um golpe militar no Brasil, algo que Bolsonaro nega.

Ao longo dos anos em que o Brasil viveu uma ditadura, entre 1964 a 1985, o Congresso Nacional foi fechado e não ocorreu eleição direta no país para presidente da República. Neste período, a impressa passou por uma grande censura e opositores do governo acabaram sendo presos, torturados e mortos.

Protestos contra Bolsonaro

Enquanto o presidente fazia o seu pronunciamento nesta última segunda-feira (7), várias cidades do país registraram panelaços.

Nesta segunda-feira (7), o presidente participou de um ato que aconteceu no Palácio da Alvorada, em homenagem ao Dia da Independência.

O evento em que o presidente foi visto registrou uma grande aglomeração e o presidente a todo momento apareceu sem máscara em meio aos seus apoiadores que estavam no local.

O item atualmente é de uso obrigatório no Distrito Federal em locais públicos. A multa para as pessoas que não usam máscara em espaços públicos é de R$ 2 mil.

Tradicionalmente, as comemorações de 7 de Setembro em Brasília acontecem na Esplanada dos Ministérios. No entanto, devido à pandemia da Covid-19, o Ministério da Defesa emitiu um comunicado recomendado que neste ano os militares não participassem de desfiles.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!