Nesta segunda-feira (7), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por meio da publicação de um vídeo, leu uma carta aberta dirigindo-se à nação brasileira. Na carta, Lula acusa o Governo de Jair Bolsonaro (sem partido) de ter tornado o coronavírus "uma arma de destruição em massa". Além disso, o ex- presidente também comentou que o país vem se subordinando de maneira humilhante aos Estados Unidos. "Um governo insensível, irresponsável e incompetente, que desrespeitou as normas da Organização Mundial de Saúde e converteu o coronavírus em uma arma de destruição em massa", disse.

Durante o vídeo, Lula falou sobre diversos temas, como o SUS e a falta de investimento na Petrobras.

Ele também explicou que as eleições de 2018 colocaram o país dentro de um pesadelo que parece estar longe do fim e afirmou que se coloca à disposição do povo brasileiro para defender principalmente as classes menos favorecidas

Lula diz que o governo Bolsonaro podia ter evitado o número elevado de mortes

Em seu pronunciamento, o ex-presidente alegou que o país está entregue a um governo que não prioriza a vida dos seus cidadãos e que em muitas ocasiões banaliza a morte. Além disso, Lula classificou o governo Bolsonaro como insensível, imaturo e incompetente por não aderir às ordens da OMS (Organização Mundial da Saúde). Ele também acusou os dois últimos governos, classificados como emergentes do golpe, como os grandes responsáveis pelo sucateamento do SUS, que até então,.

segundo ele, era respeitado por muitos países como modelo no sistema de saúde pública.

Segundo Lula, os recursos destinados ao SUS foram usados para quitar dívidas de juros ao sistema financeiro, alegando que o Conselho Monetário acaba de divulgar que deverá sacar dos cofres públicos em torno de R$ 300 bilhões.

Para Lula, parte deste recurso poderia ser destinado no auxílio emergencial com valor de R$ 600 no período em que prevalecer a pandemia.

Lula cita que o governo atual subordina o Brasil aos interesses dos Estados Unidos

De acordo com o ex-presidente, o governo de Bolsonaro está submetendo os militares e os diplomatas brasileiros a uma situação vexatória.

Lula alega que o atual governo está envolvendo o Brasil em aventuras militares, referindo-se à relação do Brasil com a Venezuela. Segundo ele, o comportamento do governo brasileiro em relação ao país vizinho contraria a própria Constituição com o intuito de beneficiar os interesses econômicos e estratégicos dos Estados Unidos. Lula também condenou o acordo assinado pelo governo brasileiro que coloca, segundo ele, a Base Aeroespacial de Alcântara sobre o comando dos norte americanos, o que priva o país de ter acesso à tecnologia vinda de países terceiros.

Lula acredita que a privatização das estatais não para por aí

Ao acusar o intuito privatista do governo Bolsonaro, o ex-presidente afirma temer que a Eletrobras seja a próxima estatal a ser privatizada.

Vale ressaltar que a empresa é a maior da América Latina no termo de geração de energia. Atualmente a Eletrobrás possui em torno de 164 usinas, responsáveis por produzir 40% da energia consumida no Brasil.

Ele explicou que a privatização da Embraer para a Boeing só escapou por conta que a empresa norte-americana vem enfrentando uma crise financeira. Segundo o ex-presidente, no momento existem multinacionais que estão ameaçando a renda de centenas de bilhões de reais do petróleo extraído do Pré-Sal e, segundo ele, estes recursos têm um valor fundamental para custear uma revolução educacional e científica.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!