O ex-governador e ex-ministro Ciro Gomes (PDT) concedeu entrevista nesta terça-feira (30) à rádio CBN Natal (Rio Grande do Norte). Na pauta, como esperado, a política nacional, quando Ciro voltou a disparar contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e ainda falou sobre sua relação com o PT.

Ciro Gomes e o PT

No início da entrevista, voltando ao passado recente, Ciro foi indagado sobre as eleições de 2018, quando ele, que terminou na terceira colocação no primeiro turno, não prestou apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT), que enfrentou Bolsonaro no segundo turno.

Ciro Gomes justificou sua decisão. “Todas as indicações eram de que, na medida em que o Lula enganou a população dizendo que era candidato, sabendo que não podia ser, porque a Lei da Ficha Limpa não deixava que ele fosse, de dentro da cadeia, o Lula anunciou uma candidatura que não ia acontecer. Então isso é uma fraude!", disparou Ciro.

Ciro ainda comentou sobre um convite de Lula para compor a chapa. "Ele [Lula] me convidou pra ser vice dele nessa fraude e eu não aceitei, lá atrás, só pra explicar porque eu cheguei nesse ponto. Na sequência, todas as pesquisas mostravam que eu ganharia do Bolsonaro e que o Fernando Haddad perderia. Fiz a campanha inteira denunciando isso, pedindo ao povo pra abrir o olho", comentou o ex-candidato.

O ex-candidato à presidência pelo PDT continuou suas críticas ao plano de Lula. "Quando chega na véspera da eleição, o Lula tira a candidatura, quer dizer, o tribunal anunciou o que era óbvio, e ele [Lula] pega o Haddad, que era um cara que tinha tirado 16% dos votos na eleição de um ano e meio atrás, que era 2016, na reeleição de São Paulo (...) Porque o Lula queria perder a eleição", explicou.

O pedetista ainda disse que votou no petista no segundo turno da eleição presidencial, mas que não mais iria ter relações com o partido encabeçado por Lula. "Eu votei nele [Haddad], apenas eu não faço mais campanha com quadrilha. Isso aí é uma coisa definitiva”, polemizou.

Críticas ao governo Bolsonaro

Como oposição, Ciro Gomes vem criticando constantemente a atuação do presidente Bolsonaro, em especial na economia e na saúde.

Segundo o ex-candidato à presidente, Bolsonaro está no seu pior momento à frente da República. "A gente precisa entender o Bolsonaro. O Bolsonaro é uma espécie, hoje, de cachorro acuado num canto de parede. Mesmo que seja um cachorro covarde, sarnento e fraco, a tendência de um cachorro acuado num canto de parede é sair querendo morder", definiu Ciro.

O ex-governador ainda não poupou críticas à conjuntura atual e culpou o Governo. "O que tá acontecendo no Brasil, o Bolsonaro tá muito enfraquecido, porque a pandemia explodiu e saiu do controle (...) fruto de incompetência, adiaram compra da vacina, fruto de todas as tragédias, de negacionismo da ciência e do mau exemplo que ele deu promovendo aglomeração, enfim...

Na economia tá degringolando geral", reclamou.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!