A líder da bancada feminina no Senado Federal, Simone Tebet (MDB-MS), está cobrando ações mais ágeis e concretas do Governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no combate à pandemia do coronavírus.

A bancada enviou pedido à Organização Mundial da Saúde (OMS) para que ajude o Brasil a adquirir mais vacinas e medicamentos que compõem o chamado "kit intubação", importante no tratamento dos casos mais graves da Covid-19. O texto foi assinado por doze senadoras.

Reunião com o ministro da Saúde

De acordo com Simone Tebet, em entrevista à CNN Brasil nesta quarta-feira (21), as senadoras tiveram encontro com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para levar as demandas da bancada feminina em relação ao enfrentamento da Covid-19.

"[A reunião] foi extremamente positiva! Primeiro pela própria audiência em si. O ministro foi muito solícito em abrir a agenda. Nós pedimos, imediatamente fomos atendidas, e uma audiência que era para ser de algo em torno de quarenta minutos, durou quase duas horas. Ali estava toda equipe técnica do ministro e ele não se furtou a responder qualquer pergunta. Eu acho que é importante ponderar que o ministro deixou muito claro para a bancada feminina que está fazendo um planejamento, que é a favor da ciência, que visitou hospitais, que tem buscado ajuda com a Organização Mundial da Saúde, conversado com laboratórios", elogiou.

Ainda segundo a senadora, o governo federal demorou a mudar sua postura negacionista.

"Isso já é um grande salto positivo, diante de um governo que negou por muito tempo, de forma totalmente equivocada, a pandemia. Hoje nós temos que correr atrás do prejuízo e não está fácil. Nós abordamos diversos temas. Estamos a bancada feminina, de forma muito unida e muito preocupada, não só com o atraso no cronograma de vacinação, não existe ainda as vacinas contratadas, não temos segurança de que o calendário vai ser cumprido, mas mais do que isso, nós estamos preocupadas com a falta do kit intubação em diversos hospitais públicos e privados do Brasil", reclamou.

Ex-ministro da Saúde

A senadora continua com as cobranças do governo federal, criticando a atuação do antigo ministro Eduardo Pazuello na condução da pandemia. "Pedimos duas coisas para o ministro [Marcelo Queiroga]: transparência e verdade. O ministro já abre as portas através do diálogo. Coisa que nós não tínhamos com o ex-ministro Eduardo Pazuello.

Não foi uma, nem duas vezes, que ele esteve no Senado Federal, e ele infelizmente se negou, pelo menos pela omissão, a responder perguntas dos parlamentares. Eu mesma fiz perguntas e não fui respondida", disparou.

Simone Tebet faz mais elogios ao atual ministro, ao mesmo tempo que critica o presidente Bolsonaro. "O ministro Marcelo, pelo menos ele se diz, e me pareceu pelas respostas, que ele tem como norte a ciência, o uso de máscaras, o distanciamento social e tá com bom planejamento, com uma boa equipe, buscando alternativas imediatas, seja para a questão do kit intubação, seja para a questão da vacinação. Nesse aspecto que se refere à transparência, à própria estratégia do Ministério da Saúde, é um giro de cento e oitenta graus.

Sabemos que obviamente ele pegou no meio do caminho, e o que é mais grave, ele tem um chefe [Jair Bolsonaro], infelizmente, um governo federal que ainda se recusa a participar desse processo", completou.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!