Uma Mulher de 37 anos foi estuprada dentro de um automóvel nesta madrugada de segunda-feira (27), em Porto Alegre. De acordo com a delegada responsável pelo caso, Tatiana Bastos, em meio ao estupro o autor do crime teria realizado um vídeo e compartilhado nas redes sociais.

Nesta última terça-feira (28), a vítima compareceu à delegacia e realizou exames de corpo de delito. Segundo a mulher, ela estava desacordada dentro do carro quando ocorreu o crime e teria procurado a Polícia depois que viu o vídeo feito pelo criminoso na internet.

Conforme o depoimento da vítima na delegacia, ela teria mencionado que no dia do crime teria deixado uma festa acompanhada de um homem e ambos teriam consumido bebidas alcoólicas.

Em meio ao trajeto, eles pararam em um local para comprarem mais bebidas e depois acabaram perdendo a consciência.

Se aproveitando de que o carro em que estava a vítima estava parado na avenida Baltazar de Oliveira Garcia, na zona norte da cidade, um outro homem teria entrado no automóvel e a estuprado.

Após o crime, um homem teria avisado a Polícia Militar sobre o automóvel parado no local. Rapidamente, os agentes foram atender a ocorrência. Ao chegarem ao local, perceberam que os dois ocupantes do veículo estavam bem desorientados por conta da bebida e chamaram uma equipe do Samu para prestar ajuda. Neste momento os policiais ainda não sabiam da história do estupro.

O suspeito já foi identificado pela polícia e possui alguns antecedentes criminais, mas não por crime sexual.

Ainda de acordo com a delegada, o próprio suspeito pode ter sido o responsável por chamar a Polícia Militar ao local do crime.

Ainda segundo a delegada, a Polícia Militar da região ainda não sabia da história toda e que agora eles estão colaborando para o desfecho do caso. Testemunhas também foram convocadas a depor na delegacia para que os agentes possam tentar compreender melhor os fatos relacionados.

Suspeito demonstrou desprezo pela mulher

Segundo a delegada, o suspeito demonstrou desprezo pela vítima ao cometer o crime, filmar e compartilhar o conteúdo nas redes sociais.

“Isso mostra que o homem teve uma grande menosprezo pela mulher, e esse assunto deve ser devidamente investigado, servindo também como prevenção e conscientização para a sociedade”, disse a delegada Tatiana Bastos.

Se for comprovado que o suspeito foi o verdadeiro autor do crime, ele poderá pegar até 15 anos de prisão por estupro de vulnerável, além de um pena de 1 a 5 anos pela divulgação das imagens na internet.

O amigo da vítima também poderá responder por estar dirigindo sob efeito de bebidas alcoólicas, mas seu registro será realizado em outra delegacia que não seja a específica da mulher.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!