O atual governador do estado do Rio de Janeiro, wilson witzel, gravou um vídeo e postou nas suas redes sociais informando os problemas do novo coronavírus e também argumentou sobre o isolamento social. Após se reunir com secretários, na tarde desta quinta-feira (23), Wilson Witzel revolveu manter o isolamento social por mais algumas semanas, tendo em vista que muitas pessoas continuam morrendo em razão da doença.

''A curva de mortalidade e de contaminação ainda é alta, apesar de estar sob controle. Exatamente por estar sob controle que nós estamos muito preocupados com qualquer reabertura de atividade econômica'', comentou o governador do estado do Rio de Janeiro.

Dias atrás, Wilson Witzel usou suas redes sociais para afirmar que havia sido contaminado com o novo coronavírus.

O estado do Rio de Janeiro é o segundo mais afetado com a proliferação do vírus, ficando atrás apenas do estado de São Paulo. Cerca de 490 mortes foram registradas e pouco mais de 6 mil casos foram confirmados. A maioria das mortes foi daquelas pessoas que estavam enquadradas no grupo de risco.

Rio de Janeiro

Durante algumas entrevistas coletivas, o atual prefeito da cidade do Rio, Marcelo Crivella, ressaltou a importância da colaboração da população carioca em razão da pandemia. Para coibir que novas pessoas sejam contaminadas com o vírus, a partir desta quinta-feira (23) ficarão obrigatórias o uso das máscaras.

O intuito, segundo o prefeito, é evitar que o novo coronavírus continue avançando no estado.

Aquelas pessoas que não usarem as máscaras, ficarão proibidas de entrar nos ônibus, metrôs, mercados e farmácias. Dependendo da situação, multas poderão ser aplicadas. Pelo fato da medida ser aplicada nesta quinta, ainda não tem dados específicos de quantas multas foram aplicadas.

Auxílio emergencial

Pelo fato de muitas atividades profissionais estarem suspensas, muitos trabalhadores tiveram que deixar de exercer as suas funções profissionais. Diante disso, muitos autônomos estão sendo afetados diretamente. Por isso o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou uma lei para beneficiar as pessoas que trabalham de forma autônoma, tendo como exemplo: motoristas de aplicativo, diaristas, barbeiros e vendedores ambulantes.

O auxílio emergencial é no valor de R$ 600, podendo chegar em até R$ 1.200. O benefício será depositado mensalmente na conta dos trabalhadores até que a pandemia seja controlada no país.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!