O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decretou na noite desta quarta-feira (8), em edição extra do Diário Oficial, estado de calamidade pública na cidade devido à epidemia de covid-19.

"A decretação do estado de calamidade pública, a ser referendado pelo Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), autoriza o prefeito do estado do Rio de Janeiro a gastar bem mais do que o orçamento previsto com obras, serviços e pessoal para ações de combate à proliferação da covid-19 sem que haja a aplicação das penalidades previstas na LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal)'', disse, em entrevista ao portal G1, o professor de Direito Administrativo e Constitucional Manoel Peixinho, da PUC-Rio.

Medidas em relação ao vírus

Assim como os demais estados do país, o Rio de Janeiro está tomando medidas para coibir o avanço da covid-19 e também ajudar pessoas. O sambódromo, que é um espaço destinado para os desfiles de escola de samba no período carnavalesco, será usado para abrigar pessoas que se encontram em situação de rua. O local já está sendo abrigado por centenas de moradores de rua, onde a maioria recebeu assistência por parte de agentes da saúde.

No local, os moradores receberão um dormitório improvisado, cobertores e também alimentação. Boa parte desse material é destinado de doações. Além do sambódromo, o estádio de futebol do Maracanã, onde acontece grandes clássicos, será instalado uma unidade hospitalar provisória.

O intuito é melhorar o atendimento de pessoas com suspeita da covid-19, tendo em vista que boa parte dos hospitais do estado estão superlotados. Ainda não existe uma data de quando o atendimento irá começar a ser realizado.

Essas são apenas alguma medidas emergenciais para evitar que a covid-19 evolua na cidade carioca.

Problemas envolvendo descumprimento do isolamento

O governador do RJ, Wilson Witzel, deu um parecer a respeito das medidas impostas pelo atual Governo. Dentre essas medidas, está a proibição de alguns lugares públicos, tendo como exemplo: rios, praias, lagos e cachoeiras. Mesmo assim existem pessoas que continuam a descumprir as medidas de isolamento social.

Na última quinta-feria (9), uma mulher acabou sendo presa após caminhar na areia da praia do Recreio dos Bandeirantes. De acordo com algumas informações, a mulher estava correndo na areia quando foi notificada por policiais militares a se retirar do local. A mulher questionou a atitude dos militares e proferiu diversas palavras de baixo calão, onde chegou a abaixar o biquíni em forma de protesto ao ato.

Pela desobediência e aos insultos, ela acabou recebendo voz de prisão, onde foi conduzida pelos militares até uma delegacia próxima. A mulher não teve a identidade revelada por motivos de segurança.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!