Chegou ao catálogo da Netflix a produção espanhola “Legado nos Ossos”, o filme tem direção de Fernando González Molina e roteiro de Luiso Berdejo. No elenco estão: Marta Etura; Carlos Librado “Nene”; Leonardo Sbaraglia; Francesc Orella; Imanol Arias; Benn Northover e outros.

Trilogia

Infelizmente a Netflix não se importou muito em comunicar aos seus assinantes que este filme se trata da segunda parte de uma trilogia que teve inicio no filme - que também consta do catálogo da plataforma de streaming - “O Guardião Silencioso” de 2017. Desta maneira é altamente recomendável que o espectador assista à primeira parte desta trilogia para poder ter um entendimento melhor do que acontece no novo filme.

Trilogia Baztan

Estes filmes foram inspirados pela "Trilogia Baztan" este é o nome dado aos três livros escritos pela autora Dolores Redondo, que acompanha as aventuras e os dramas da inspetora Amaia Salazar, que no filme é interpretada pela atriz Marta Etura.

A trama

O novo filme se passa um ano após os acontecimentos de “O Guardião Invisível”, a inspetora Amaia está envolvida em uma investigação que irá revelar informações aterrorizantes sobre seu passado e de sua família. A protagonista desta vez é encarregada de investigar uma série de suicídios que acontecem no Vale Baztan, a única pista que a investigadora tem para seguir é a palavra “Tarttalo” que é deixada pelas pessoas que cometeram suicídio, geralmente escritas com o próprio sangue.

E desta maneira, se descobrirá que este caso está intimamente ligado com sua mãe à própria Amaia.

Longa duração

O próprio diretor, Fernando González Molina declarou que sua intenção era usar as duas horas de duração do segundo capítulo da saga para ser fiel ao livro homônimo, mas que o longa-metragem também pudesse ter sua própria identidade.

O cineasta já havia exagerado na duração do primeiro filme, mas de qualquer forma, “O Guardião Invisível” apresentava uma história mais coesa enquanto que no novo filme, a trama acrescenta muitos personagens e alguns sub-arcos que não contribuem muito para a qualidade do filme.

Outra característica encontrada no novo filme e que já tinha sido vista no primeiro capítulo é que o diretor apesar de apresentar momentos na trama que sugerem atividades sobrenaturais, o filme nunca deixa claro se realmente existe este elemento na trama, deixando para o espectador decidir.

Desde o primeiro filme a atriz Marta Etura mostrou que é o grande destaque desta saga, é fácil para o público se envolver nos dramas da inspetora Amaia Salazar, que ao mesmo tempo é uma policial competente e dedicada e também é uma mãe e esposa dedicada. E é verossímil sua tentativa de equilibrar estes dos aspectos de sua vida.

O final de “Legado dos Ossos” indica que virá um terceiro capítulo, pois ficaram pontas soltas e há no filme um personagem que parece ser suspeito de ser o mandante dos crimes que foram mostrados na trama. Agora é esperar que caso Molina seja o diretor do próximo filme, que ele não torne o filme tão cansativo quanto este.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!