Estreou na última quarta-feira (9) na Netflix o documentário "O Dilema das Redes". A produção de uma hora e 34 minutos foi dirigida por Jeff Orlowski.

A obra reúne um time de especialistas em Tecnologia e estudiosos de áreas como psicologia que se dedicam a estudar as redes sociais.

Todos os entrevistados alertam para o potencial de destruição que as redes sociais possuem, e que a democracia e a própria humanidade estão sob grave ameaça.

Superstars

Jaron Lanier, Roger McNamee, Aza Raskin, Justin Rosenstein, Jeff Seibert, Tim Kendall e Sean Parker são alguns dos entrevistados que participaram do documentário.

Para quem não é da área de tecnologia, é normal que não conheçam nenhum dos nomes do parágrafo anterior, mas eles são como estrelas de Hollywood ou astros da música pop na área da tecnologia da informação.

1984

Uma das falas mais impactantes no documentário faz lembrar a obra literária clássica de George Orwell "1984".

Jeff Seibert, ex-executivo do Twitter, explicou que deseja que as pessoas tenham conhecimento de que tudo o que fazem online está sendo vigiado, monitorado e medido.

Cada ação realizada pelas pessoas é cuidadosamente registrada e monitorada. Quais imagens que os usuários olham e por quanto tempo eles permanecem olhando para ela, ele frisou que é serio que até mesmo o tempo gasto pelos internautas observando uma imagem é levado em consideração para manter o controle sobre as pessoas.

O novo documentário da Netflix é extremamente relevante, visto que cada vez mais histórias sobre violação de privacidade e vazamento de dados na internet e nas redes sociais vêm sendo revelados.

A reunião de nomes de tamanho peso no mundo digital depondo contra algo que eles próprios criaram, ou ajudaram a criar, é o que torna o conteúdo de "O Dilema das Redes" tão chocante.

Seria algo como se alguém fosse a uma loja comprar um produto e o próprio vendedor apontasse as falhas da mercadoria.

Dramaturgia

Paralelo às entrevistas, há uma trama interpretada por atores no documentário. A trama conta a história de uma família em que os pais estão preocupados com o tempo que os filhos gastam usando o celular.

Aos poucos, um dos filhos do casal Ben, interpretado pelo ator Skyler Gisondo, vai sendo cada vez mais consumido pelas redes sociais e acaba sendo vítima de fake news e e discurso de ódio na internet.

A dramatização mostra três algoritmos como se fossem seres humanos em uma central de comando que manipulasse os usuários das redes sociais.

No início da dramatização, o adolescente é mostrado como um modelo rudimentar em 3D para no final da trama sua reprodução ser exatamente igual ao ser humano que ele emulou. Ben é então mostrado como uma marionete manipulada por algoritmos.

Todos os especialistas são perguntados se existe uma solução para o problema, e a resposta unânime é que ainda existe meio para reverter a situação, mas que já passou da hora das pessoas tomarem conhecimento do que está acontecendo.

Mark Zuckerberg

O dono da rede social azul não é muito fã de entrevistas então é compreensível que ele não esteja presente no documentário.

A produção mostra imagens de arquivo de Zuckerberg em que ele responde sobre a influência de sua empresa nas eleições dos Estados Unidos de 2016.

Ao contrário de seus pares, Mark não se sente responsável pelos males causados pelas redes sociais. Como é dito em "O Dilema das Redes", ainda há tempo para sair da Matrix.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página WhatsApp
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!