Mais uma vez a Netflix estreia uma produção audiovisual vinda da Polônia. Em setembro a plataforma de streaming estreou o péssimo "365 DNI".

Agora, a empresa mais uma vez distribui outro filme de baixa qualidade vindo do país, "Sem Conexão" (Nobody Sleeps in the Wood Tonight), dirigido por Bartosz M. Kowalski. O profissional também é autor do roteiro, ao lado de Jan Kwiecinski e Mirella Zaradkiewicz.

O elenco principal é formado por: Julia Wieniawa-Narkiewicz, Michal Lupa, Wiktoria Gasiewska, Stanislaw Cywka e Sebastian Dela.

A Netflix tem um catálogo gigantesco que pode fazer seus assinantes ficarem um bom tempo escolhendo o que irão assistir.

Infelizmente, no meio de tantas boas opções, também há um número imenso de filmes totalmente desnecessários, e "Sem Conexão" é mais um exemplo de produção descartável.

Será lamentável se o thriller erótico lançado no mês de setembro e o lançamento de outubro dos gêneros terror e suspense forem o padrão das produções da Polônia.

A trama

A produção acompanha um grupo de jovens em um acampamento voltado para quem tem sérios problemas com o vício em tecnologia.

Quando chegam de ônibus a uma floresta, o grupo é obrigado a deixar com os organizadores do acampamento seus smartphones e quaisquer outros meios de comunicação com o mundo.

Os adolescentes são separados em sub-grupos e cada um destes subgrupos são acompanhados por um(a) monitor(a).

A produção se concentra em acompanhar somente um destes grupos. O pequeno grupo então é atacado por uma criatura monstruosa, um homem gigantesco e deformado.

Homenagem

O filme está sendo classificado por muitos como sendo uma espécie de homenagem a franquias como "Sexta-feira 13" e "Pânico".

Também pode se enxergar referências a clássicos do gênero slasher das décadas de 1970 e 1980, e talvez seu final seja uma referência ao ótimo "Corra!" (2017).

Seja como for, "Sem Conexão" não passa de uma colcha de retalhos que cita de maneira patética diversos filmes do tipo.

A premissa do filme poderia até render bons frutos. O uso em excesso das redes sociais poderia levantar bons questionamentos sobre o tema, mas o roteiro pobre não conseguiu explorar a boa ideia.

Referências

Ao se criar um ambiente em que não serão vistos o uso de aparelhos celulares, "Sem Conexão" consegue fazer uma referência aos filmes que foram feitos antes da existência destes aparelhos, além das fontes dos créditos deixarem evidente qual foi a inspiração para o longa.

O filme se inicia com um prólogo em que é mostrado um homem sendo atacado, mas até o momento, não é mostrada a criatura e fica-se com a impressão de que aquele homem morreu.

Depois o filme vai para os dias atuais, com a chegada do grupo de adolescentes naquela mesma região em que foi visto o ataque no prólogo da produção.

Já em sua fase inicial, o filme já dá mostra da pobreza de seu texto, um dos monitores faz piadas com os adolescentes, zombando deles não poderem mais usar seus dispositivos eletrônicos.

Outro homem, uma figura bizarra, que seria uma espécie de escoteiro, faz um discurso contra o uso da tecnologia, enumerando as vantagens de se divertir fora do meio digital.

E o show de coisas sem sentido continua com a chegada de um padre que faz uma oração maldizendo o uso da tecnologia e chega até mesmo a benzer os celulares!

6 pecados

Entre o grupo de adolescentes, um deles diz que existem 6 erros que são sempre cometidos em filmes de terror, mais uma tentativa fracassada de tentar mostrar algo interessante, quase como se fosse uma metalinguagem.

Ao longo do filme, nota-se que o diretor optou por vários planos abertos, que resultou em belas imagens da floresta em que o filme é ambientado, mas isto não serviu para nada para a estrutura narrativa da trama.

Siga a página Cinema
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!