O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) declarou na última segunda-feira (18) que são as Forças Armadas as responsáveis pela decisão de haver uma democracia ou uma ditadura em um país. O mandatário ainda sugeriu que as Forças Armadas foram "sucateadas" como parte de um objetivo de implementar um regime socialista no país.

Jair Bolsonaro decidiu voltar a fazer suas declarações polêmicas (para dizer o mínimo) na frente do Palácio da Alvorada. A grande questão é se alguém estava sentindo saudades do festival de fake news, discursos de ódio, entre outras atrocidades que infelizmente o líder do Executivo se acostumou a dizer na porta do Palácio da Alvorada, residência oficial da presidência da República.

No local, o mandatário também costumava insultar jornalistas e insuflar seus apoiadores presentes no local a fazerem o mesmo. Agora Bolsonaro não tem mais a chance de bravatear contra os profissionais da imprensa, pois eles abandonaram a cobertura jornalística no local para preservarem sua segurança.

Agora Bolsonaro está mais confortável falando apenas para seus admiradores que diariamente vão ao encontro do presidente para ouvirem alegremente fake news e declarações absurdas como as que foram ditas na segunda-feira (18).

Golpe

Cada vez mais parece se confirmar a teoria que muitos analistas políticos defendem de que Jair Bolsonaro pretende dar um golpe, pois o ex-tenente do Exército, que deixou a corporação com desonra (Bolsonaro só chegou ao cargo de capitão por ter sido reformado), tem procurado estreitar cada vez mais sua relação com militares de baixa patente, ao prestigiar quaisquer eventos de formatura de jovens oficiais.

A declaração dada na última segunda-feira parece ser apenas uma forma de prestigiar as Forças Armadas, mas se pode ler muita coisa nas entrelinhas do que disse o ex-militar que saiu do Exército pela porta dos fundos da corporação.

Em sua fala, além de afirmar que está em poder das Forças Armadas decidirem se a nação viverá em uma democracia ou em uma ditadura, o presidente declarou que “ainda” se tem liberdade no Brasil, porém ressaltou que esta situação pode mudar se os homens e mulheres das Forças Armadas do Brasil não forem reconhecidos por seu valor.

Bolsonaro devia estar com saudade de falar com seus fiéis apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada. O mandatário não se limitou a ameaçar a democracia ao mesmo tempo em que conclamava as Forças Armadas para darem um golpe. Ele ainda declarou que “querem levar o Brasil para o socialismo" e que para cumprirem esta missão, realizaram o sucateamento das Forças Armadas ao longo de 20 anos.

“Porque nós militares somos o último obstáculo para o socialismo”, disse o ex-militar, que saiu do Exército acusado de planejar um ataque terrorista.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!