Estreou na sexta-feira (15) na Netflix o filme de ação e ficção científica "Zona de Combate" (Outside the Wire). A produção é protagonizada por Anthony Mackie, o Falcão do MCU (Universo Cinematográfico Marvel), e Damson Idris (Black Mirror).

O elenco conta ainda com outros nomes conhecidos do público como Michael Kelly (House of Cards), Pilou Asbæk (Game of Thrones) e Emily Beecham (Into the Badlands).

A direção é de Mikael Håfström a partir de um roteiro co-escrito por Rowan Athale e Rob Yescomber.

Anthony Mackie também é o produtor do longa de 1h55 ao lado de: Ben Pugh; Brian Kavanaugh-Jones; Erica Steinberg e Jason Spire, da Inspire Entertainment, produtora de Mackie.

A trama

O filme é ambientado em 2036 e acompanha a trajetória do tenente Harp (Idris), um experiente piloto de drones que, após desobedecer a um superior, como punição é enviado para uma zona militarizada em que irá participar de uma missão secreta e extremamente perigosa ao lado do capitão Leo (Mackie).

Anthony Mackie

A parceria entre a Netflix e Anthony Mackie já rendeu a participação do Falcão da Marvel na segunda temporada da série "Altered Carbon", no longa "IO" e em "Queima-Roupa", filme de ação em que o ator dividiu o protagonismo com outro ator visto no MCU, Frank Grillo, que deu vida ao vilão Ossos Cruzados.

Ainda que a nova produção da Netflix seja um bom filme de ação. A obra não parece ser capaz de estabelecer de vez Anthony Mackie como um dos grandes atores de filmes de ação da atualidade.

Mas é interessante o suficiente para fazer o público torcer para ver Mackie na vindoura série do Disney+, "Falcão e o Soldado Invernal".

O ator estadunidense de 42 está ótimo na pele (sintética) do androide que trabalha para as Forças Armadas dos Estados Unidos.

Além de mostrar boa forma nas bem coreografadas cenas de luta e nas cenas de ação, Mackie também está bem ao interpretar cenas mais voltadas para o drama.

Mesmo não sendo uma atuação digna de um Oscar, Mackie brilha em cada cena em que aparece, muito por causa do outro protagonista da trama.

Damson Idris

O ator mostra uma atuação apática que não convence em praticamente nenhuma parte do filme.

A apresentação dos dramas, contradições e defeitos do personagem são mostrados muito mais pelas falas de quem está ao seu redor e pelas situações que são criadas para que o público possa entender as motivações do jovem piloto de drone do que pela atuação de Idris.

Didatismo

Um dos pontos negativos da trama é justamente quando o filme usa uma sequência, desnecessária, para mostrar para o público que o personagem passou por um momento de transformação, quando somente pelo olhar do ator e a situação em que o personagem se encontrava, já poderia ter sido entregue a mensagem.

Mas o filme de Mikael Håfström é um bom divertimento que apesar de não inovar nos questionamentos que se propõe a fazer, consegue trabalhar de forma interessante com elementos que já foram utilizados à exaustão em filmes do gênero, e ainda têm o mérito de surpreender o público por conta das diversas camadas do personagem de Mackie.

Siga a página Cinema
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!