Depois que o Congresso dos Estados Unidos ratificou a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais ocorridas em novembro, na madrugada de quinta-feira (7) o presidente derrotado Donald Trump afirmou que "haverá uma transição ordeira em 20 de janeiro".

Modéstia

"Embora isso represente o fim do maior primeiro mandato da história presidencial, é apenas o começo de nossa luta para tornar a América grande de novo", afirmou Trump.

O negacionista e nada modesto Donald Trump não leu ele próprio a nota cheia de elogios a si mesmo, bem ao estilo de Trump, a declaração foi lida pelo porta-voz da Casa Branca.

Apesar da falta de modéstia, a nota pode ser entendida também como uma resposta para amenizar a atuação, ou a falta dela, de Trump nos trágicos acontecimentos ocorridos nos Estados Unidos na quarta-feira (6).

A declaração foi feita depois que apoiadores do presidente Trump invadiram o Capitólio, a sede do Congresso dos Estados Unidos.

O ato dos manifestantes causou a interrupção de uma sessão. A polícia informou que quatro pessoas morreram na invasão.

O Congresso norte-americano retomou a sessão após horas de interrupção causada pela invasão dos apoiadores de Donald Trump. A sessão terminou às 5h44 (hora de Brasília), depois que o vice-presidente Mike Pence proclamou o resultado da eleição.

A sessão seria apenas uma formalidade para ratificar a vitória do novo presidente eleito dos Estados Unidos e sua vice.

Mas com o mundo como testemunha, poucas coisas são normais no governo de Donald Trump.

Fora os trágicos acontecimentos que resultaram na morte de quatro pessoas, o próprio vice de Trump, Mike Pence, estava sofrendo pressões do mandatário para não aceitar a certificação de Joe Biden. Além de ocupar a vice-presidência, Pence também é o presidente do Senado.

Depois de retomar a sessão, o vice de Trump criticou a invasão ao Capitólio. Pence comemorou a volta aos trabalhos dizendo que os invasores perderam, que a liberdade venceu e que iriam retomar os trabalhos.

Marcha

Momentos antes da invasão, Donald Trump afirmou que marcharia ao lado de seus apoiadores na ida ao Congresso, em um discurso que negava mais uma vez que havia perdido a eleição presidencial.

Trump, porém, não cumpriu sua promessa de acompanhar seus apoiadores.

Ameaça

Encurralado, Trump se viu obrigado a dar uma declaração dizendo que a transição que acontecerá no próximo dia 20 irá ocorrer de forma ordeira, depois dos atos de violência de seus apoiadores.

Ao dizer que seu mandato foi apenas o primeiro passo para uma luta para retomar a grandeza da América, visão de Trump e de seus seguidores, o presidente derrotado parece mais fazer uma ameaça de que sua figura autoritária ainda permanecerá ativa na política norte-americana.

Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!