O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) perdeu um espaço para disseminar suas costumeiras fake news sobre o coronavírus. Como foi divulgado pela coluna Tilt do site UOL, o YouTube removeu mais publicações do ocupante do Palácio da Alvorada, em que ele divulgava informações inverídicas sobre a Covid-19.

Na última sexta-feira (23) a plataforma de vídeos derrubou quatro vídeos em que Bolsonaro divulgou desinformação médica sobre o coronavírus. Todos são lives semanais, sendo três do ano passado e uma publicada no início de 2021.

'Dr. Bolsonaro'

Na última semana, pela primeira vez o YouTube derrubou uma live do líder do Executivo em que ele comentava sobre tratamentos não comprovados pela ciência contra a Covid-19.

Mudanças

Todos os vídeos foram excluídos tendo como base as novas diretrizes adotadas pela plataforma. O YouTube no dia 16 de abril tomou a decisão de remover quaisquer conteúdos que estivessem recomendando o uso de cloroquina, hidroxicloroquina ou ainda a ivermectina para o tratamento da Covid-19.

O UOL falou com a plataforma de vídeos que afirmou que a atualização de suas políticas "está alinhada às orientações atuais das autoridades de saúde globais".

As novas regras irão remover conteúdos que falem sobre: diagnóstico; diretrizes sobre isolamento social; prevenção e tratamento.

As exceções serão vídeos com conteúdo artístico, educacional, científico ou documental. Esses vídeos serão analisados para que não sejam equivocadamente removidos do YouTube.

Desde o começo da pandemia a plataforma derrubou mais de 850 mil vídeos. O Palácio do Planalto respondeu ao UOL que não comentará sobre a remoção dos vídeos.

As fake news de Bolsonaro

Na live de 9 de julho, Jair Bolsonaro recomendou o uso de hidroxicloroquina para tratar a Covid-19, um remédio sem eficácia comprovada.

Na época, o mandatário alegava que havia contraído a doença e que teve recomendações médicas para fazer uso do medicamento.

Sem apresentar provas do que dizia, o ocupante do Palácio da Alvorada afirmou que centenas de pessoas que usaram o medicamento ficaram curadas da doença.

Máscara

Na live do dia 26 de novembro, até mesmo a utilização de máscaras foi questionada por Bolsonaro. Desde quando começou a pandemia, em pouquíssimas ocasiões ele foi visto utilizando o equipamento de proteção.

Na live, o presidente Bolsonaro afirmou que ainda será realizado um estudo sério que irá falar sobre a eficiência das máscaras, "é o último tabu a cair", declarou o presidente. Nessa mesma live Jair Bolsonaro voltou a defender a utilização da hidroxicloroquina.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!