Dafne Anãzinha, ou atualmente Lia Regina, é muito famosa no ramo da prostituição. Apesar de ter saído do mercado e não realizar mais programas, Lia listou mais de 600 clientes em uma autobiografia lançada neste mês de setembro. Entre os ex-clientes estão atores globais e jogadores Famosos do Futebol.

Em uma entrevista concedida ao Notícias da TV, a ex-garota de programa relatou que a maiorias dos clientes que solicitavam seus serviços procurava por "fetiches diferentes".

Nanismo

Lia tem nanismo, uma condição que na maioria das vezes torna as pessoas alvos de diversos tipos de preconceito. Contudo, para a profissão da ex-meretriz a condição foi um ponto bastante favorável.

Foi justamente o seu nanismo que garantiu uma ampla gama de clientes, que buscavam algo diferente do cotidiano.

Na entrevista, Lia relatou que os clientes pagavam justamente pela condição que ela apresenta, inclusive o fato de ser anã atraiu muitas celebridades extremante famosas, que obviamente ela não pode identificar até por uma questão de "ética".

Clientes

Lia conta que os clientes eram homens muito lindos que estão diariamente na mídia, inclusive, ela diz que nunca imaginou ir para a cama com atores e jogadores de futebol que a contratavam. Um de seus clientes famosos teria lhe dado até uma calcinha de presente.

Ainda na entrevista, Lia relata que a relação entre ela e os clientes famosos sempre foi bastante profissional.

Apesar dos encontros, nenhum contato diário era mantido com eles. Ao afirmar que seu trabalho era realizar a fantasia de seus clientes e depois encerrar o dever, ela disse que as garotas de programas, na verdade, são as únicas que conseguem acesso a homens considerados intocáveis.

Fetiches Diferentes

Os atendimentos da ex-prostituta eram bastante diferentes. Na maioria das vezes se enquadravam na realização de "fetiches diferentes". Lia conta que alguns de seus clientes nem chegavam a manter relação sexual com ela, mas buscavam apenas realizar os desejos reprimidos.

Ela cita como exemplos a inversão de papéis, onde o homem prefere ser o sujeito passivo enquanto a Mulher toma a frente, tornando-se ativa.

Outro exemplo curioso é de um cliente que a contratou apenas para estourar balões e ficar observando. Outros pediam para que ela urinasse na cara deles e alguns chegavam a pedir para introduzir alimentos dentro dela.

Bruna Surfistinha

Lia revelou que conseguiu acompanhar os atendimentos realizados graças a um caderno onde ela anotava as informações de seus clientes, tanto de homens como mulheres. A estratégia usada por ela é exatamente a que Bruna Surfistinha usava.

Outra razão para manter as anotações é que os clientes apresentavam uma necessidade de serem tratados como únicos. Desta forma, Lia conseguia manter os dados de cada um, com suas características e gostos. Assim, quando ligavam, ela usava o caderno para torná-los únicos como desejavam.

A mulher contou ainda que a decisão de escrever a autobiografia surgiu para que, de alguma forma, ela pudesse ajudar outras pessoas que sofrem com a mesma condição. O livro "A Pequena Notável Dafne Anãzinha" estará à venda na Amazon.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!