Caçadores neozelandeses abateram acidentalmente quatro takahes, uma espécie de aves ameaçadas de extinção, as quais eles deveriam proteger, tendo-as confundidos com aves que deveriam eliminar.

A existência dos takahes, dos quais restam apenas 300 exemplares, foi ameaçada no santuário de Motutapu Island, fora de Auckland, por mil pukekos, uma espécie de primo da galinha-d'água cujo o comportamento é mais agressivo. A operação de abate dos pukekos havia sido decidida. Ela terminou imediatamente após os caçadores, que provavelmente confundiram as aves por causa de suas cores azuis semelhantes, perceberam o seu erro.

A morte dos takahes é "profundamente decepcionante", disse em um comunicado o diretor dos serviços responsáveis ​​pela proteção do meio ambiente, Andrew Baucke.

Publicidade
Publicidade

Os caçadores da associação local, culpados pelo equívoco, haviam sido "treinados". "Eles tinham recebido todas as instruções necessárias para distinguir o takahe, que não pode voar, do pukeko", disse ele.

Desculpas ao país inteiro

O presidente da associação de caçadores, Bill O'Leary, disse que estava "chocado" e exigiu um pedido de desculpas "para todo o país" pelo erro grotesco. "Estamos bem conscientes de que esta é uma espécie em extinção e esse foi o motivo do abate dos pukekos, que causam grandes danos aos ninhos e ovos."

O takahe, endêmico na Nova Zelândia, hoje está na lista vermelha de espécies ameaçadas da União Internacional para a Conservação da #Natureza (IUCN). Ele foi considerado extinto, até que espécimes foram redescobertos no sudoeste da Nova Zelândia, em 1948.

O pukeko, também nativo da Nova Zelândia, Austrália e Tasmânia, tem o nome de origem Maori.

Publicidade

Na Austrália, é comumente chamado de "Swamphen" (galinha pântano). Também está presente em Aru e Kai, ilhas Molucas, na Indonésia; na Ilha TALUGA, em Papua Nova Guiné; em Lord Howe e Norfolk, Ilhas da Nova Zelândia e Austrália; nas Ilhas Kermadec, também na Nova Zelândia.

Ficou perceptível o desespero com a confusão dos caçadores, não? Claramente, o pukeko é bem mais abundante que o takahe, limitado a apenas 300 exemplares.

Diante da imagem em anexo, você também poderia trocá-los?

Deixe o seu comentário!

 

DICAS PARA MUDAR DE PAÍS E COMEÇAR UMA NOVA VIDA

BAHIA: MÃE COLETA RECICLÁVEIS PARA MANTER FILHO EM FACULDADE

EUA: AGÊNCIA AMERICANA DE MEDICAMENTOS (FDA) AUTORIZA VENDA DE VIAGRA FEMININO #Animais