Na manhã desta quarta-feira (27), dois trens se chocaram por volta das 6h55, na altura da Estação São Cristóvão da SuperVia, zona norte do Rio de Janeiro. O acidente deixou 9 pessoas feridas, entre elas o maquinista de um dos trens, que ficou preso entre as ferragens. O choque se deu entre um trem da Linha Deodoro, que vinha da Central, e uma composição que também saiu da Central, mas que até o momento não foi identificada.

Pelas imagens publicadas nas redes sociais é possível perceber a violência da colisão, partes dos trens ficaram completamente destruídas e uma locomotiva chegou a se soltar do chassi, ficando totalmente esmagada. A violência foi tanta que os bombeiros tentavam, desde às 7h15, acessar um caminho que os levasse ao condutor que estava preso entre as ferragens.

Foi necessário o uso de alicates hidráulicos e desencarceradores para cortar as partes dos trens. Três equipes de Bombeiros trabalharam no atendimento às vitimas (Centro, Praça da Bandeira e Vila Isabel).

Três horas depois, o maquinista ainda permanecia preso entre as ferragens

Depois de quase três horas da colisão, as equipes de bombeiros ainda trabalhavam para retirar o condutor das ferragens. Por volta das 10h, o calor já era muito forte e parte da equipe de bombeiros dava suporte aos companheiros, que estavam trabalhando diretamente nas ferragens, trazendo água para todos. Mesmo depois de retirar boa parte do entulho, os bombeiros ainda precisaram serrar o teto de um dos vagões, na tentativa de liberar caminho e tentar resgatar o maquinista.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Momento do acidente

Em entrevista ao G1, passageiros de um dos trens contaram que no momento do acidente muitas pessoas caíram por conta do forte impacto. Andreia Mathias, que ia para o trabalho no momento do acidente, disse que só teve consciência da gravidade do que tinha acontecido quando saiu do trem. Ela conta que um trabalhador ambulante que estava no mesmo vagão que ela tentou acalmar os passageiros, dizendo que acreditava que o trem apenas havia descarrilado, ele também começou a ajudar as pessoas que caíram e nesse momento os guardas e o apoio da SuperVia já estavam dando os primeiros atendimentos de socorro aos passageiros.

Situação atual dos trens

Segundo informações postadas nas redes sociais pela concessionária, os trens para Deodoro e Campo Grande não param na estação Praça da Bandeira e estão com intervalos irregulares entre as viagens. A estação onde aconteceu o acidente faz baldeação com a Linha 2 do metrô.

Investigação

Segundo nota publicada pela concessionária responsável pelos trens, uma sindicância já foi instaurada para apurar as causas do acidente.

A Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) também informou através de nota que já está investigando os motivos que levaram à colisão entre os trens.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo