Jesse Saldanha Nogueira foi preso na tarde deste domingo (24), no município de Sena Madureira (AC), suspeito de jogar água fervendo nas partes íntimas de sua companheira, a cuidadora de idosos Agerlândia Miranda, de 25 anos. Ela teve queimaduras de terceiro grau nas pernas e nas partes íntimas e precisou ser transferida e segue internada no Hospital de Urgência e Emergência da capital Rio Branco.

O delegado responsável pelo caso, Marcos Frank, informou que o suspeito chegou a se apresentar na delegacia com um advogado. Ele foi ouvido e liberado em seguida, pois o exame de corpo delito realizado pelo IML na vítima não apontou lesão grave.

No entanto, depois que a vítima foi encaminhada ao hospital de urgência, o delegado pediu um novo exame.

O médico do IML foi até a cidade de Rio Branco, no hospital onde a vítima estava internada, para realizar um novo exame de corpo de delito que atestou lesão corporal grave. Por esse motivo o delegado pediu a prisão preventiva do acusado.

O casal estava junto há 3 anos e Agerlândia havia decidido terminar o Relacionamento, o que teria gerado uma reação violenta em Jesse e o ataque com a água fervendo. As agressões teriam acontecido na frente das três filhas de Argelândia. Apenas a menina mais nova é filha do agressor. As crianças, juntamente com a mãe, estão recebendo acompanhamento psicológico e estão aos cuidados do pai da vítima.

Relato emocionado da vítima

Agerlândia informou que está se recuperando bem e espera que logo possa sair do hospital, mas tem medo de quando sair não conseguir trabalhar para sustentar as filhas por causa dos ferimentos que sofreu, ela mora de aluguel e sem a presença do companheiro, teme não conseguir manter em ordem suas dívidas e cuidar das crianças pequenas sozinha.

Ao falar sobre o ocorrido, ela relembra emocionada que ao chegar em casa percebeu uma leiteria com água no fogo, mas não imaginava que ele iria usar aquela água para jogar nela e no momento que o companheiro veio com a água saindo fumaça em sua direção ela tentou se proteger com as mãos, mas ele escolheu o lugar para jogar a água fervente.

Agerlândia contou que as filhas ficaram desesperadas ao ver a mãe toda queimada. Nogueira conseguiu fugir, enquanto a Mulher foi para o banheiro jogar água fria nas queimaduras para aliviar a dor.

Argelândia contou que o pior para ela foi isso tudo acontecer diante de suas filhas que ficavam falando que a mãe iria morrer.

Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!