Uma jovem usou suas redes sociais para acusar seu padrasto de um crime bárbaro. Segundo Eva Luana da Silva, 21 anos, o suspeito, Thiago Oliveira Alves, teria abusado e torturado ela e mãe. A jovem, que hoje estuda direito, relatou todo o horror passado ao longo deste tempo. Ela começa dizendo que foram nove anos de abusos praticamente todos os dias. A jovem ainda relata que o estupro chegava a acontecer duas vezes no mesmo dia.

Eva chegou a dizer que os abusos e torturas aconteciam de forma rotineira e que perdeu as contas de quantas vezes ela sofreu os abusos. Os relatos detalhados podem ser vistos ao final do artigo.

Em entrevista ao G1, nesta quinta (21), Luana disse que teme o padrasto, mesmo após sua prisão. O homem foi preso após suas denúncias à Polícia Civil. Ela revela que a pressão psicológica era 'terrível' justamente por conta dos momentos ruins que passou ao lado do acusado.

Além dos estupros, ela relata torturas que seriam inimagináveis para qualquer ser humano. Em sua versão, ela contou que passava um dia inteiro sofrendo humilhações e torturas. Os detalhes chegam a ponto dela relatar que teve que engolir o próprio vômito.

Crime repercute em todo o Brasil

Os abusos teriam começado aos 12 anos e ela fez vários abortos. Relata, inclusive, que chegou a ver feto formado após forçar o aborto.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

"Foram quatro ou cinco vezes", relembra a jovem.

O caso ganhou notoriedade depois que Eva fez cinco postagens no Instagram para relatar a violência. A violência em casa teria começado com sua mãe e depois ela foi incluída como vítima. As postagens logo viralizaram e artistas como Kéfera e Alice Wegmann deram visualização a postagem.

Suspeito é preso

O suspeito foi preso na última quarta-feira (13), na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) de Camaçari.

A cidade conhecida por ser um polo industrial na Bahia, foi onde a jovem formalizou a denúncia. O homem era funcionário da prefeitura do município e foi exonerado no primeiro dia de fevereiro, dois dias depois da denúncia ter ido ao conhecimento das autoridades.

Mesmo preso, o homem teria "mandado recado ameaçador" à jovem. Eva também conta que foi o namorado quem a ajudou a contar toda a tortura passada ao longo destes nove anos.

A mãe de Luana, que também é vítima, ganhou medida protetiva da Justiça. O homem deveria ficar distante da vítima por, no mínimo, 300 metros. Ele não cumpriu, voltou à casa e destruiu provas.

Relato de torturas

A jovem chegou a ter que dormir na casa do cachorro, comer o próprio vômito e ser espancada, além dos estupros e tortura psicológica. “Existiam castigos e punições pra tudo", disse. Em outro trecho, sobre um episódio em que o acusado teria obrigado-a a comer uma pizza inteira e tomar 2 litros de regrigerante em 10 minutos, ela relatou: "ele enfiou as pizzas na minha boca, me chamando de animal.

Eu vomitei e comi meu próprio vômito".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo