O menino Luan Silva Oliveira, de apenas 3 anos, morreu no último dia 23 de dezembro após sair sozinho de um vagão do metrô de São Paulo, onde estava com a família, andar pelos trilhos da linha e acabar sendo atropelado por um trem. Conforme imagens de câmeras de segurança, a mãe não teve tempo de segurar o menino. Dois meses após o caso, a mãe, Lineia Oliveira Silva, de 25 anos, disse que tenta retomar a vida após a imensa dor. Segundo ela, muitas pessoas teriam julgado que ela não cuidou direito do filho, inclusive o ex-marido e a mãe dele.

Segundo informações do site Universia, do UOL, Lineia sofreu um aborto após o ocorrido.

Na época ela estava grávida e não sabia.

Conforme as informações, Lineia tem planos de retomar os estudos, pois parou no ensino fundamental. Além do mais, também planeja aumentar sua família e conquistar uma casa melhor para os irmãos de Luan, de 7 e 9 anos. Luan era o caçula da família.

Desespero de uma família

O caso ocorreu no dia 23 de dezembro de 2018. Em passeio com a família no metrô, em um momento o menino conseguiu sair do vagão. Na ocasião, estavam Luan e seus dois irmãos, Lineia, o marido e o sogro.

A criança de 3 anos abandonou o vagão e acabou entrando em um túnel, sendo atropelado na estação Santa Cruz, zona sul de São Paulo. O laudo apontou que a morte do garoto foi em decorrência de um traumatismo crânio encefálico.

Vídeos disponibilizados através dos Laudos do Instituto de Criminalística mostram a mãe de Luan tentando correr para pegar a criança.

No entanto, a porta do vagão logo se fecha. Dessa forma, a mãe foi isentada de qualquer culpa na tragédia.

Lineia conta que mesmo inocentada, ela segue sendo julgada, até mesmo por pessoas próximas da família. Além do mais, ela revela que teve um sentimento de revolta por saber que outras pessoas viram seu filho chorando e ninguém teria sido capaz de segurar nos braços do garoto para tentar impedir o atropelamento.

"As pessoas julgam, falam que não cuidei do meu filho, incluindo meu ex-marido e a mãe dele, que sequer apareceram no enterro. No início, realmente me senti assim, mas tenho consciência de que fiz tudo pelo meu filho", disse ela em entrevista ao Universia.

A separação do ex-marido ocorreu logo quando Luan nasceu. Lineia disse que se separou do pai das crianças e atualmente tem outro marido.

Um de seus objetivos agora é dar um filho para seu atual marido.

Em uma tatuagem, Lineia relembra que se sentiu muito feliz com a gravidez do Luan. Ela tatuou uma imagem e o nome do filho no braço.

Atualmente, a mãe está desempregada e pretende voltar a estudar e fazer curso de eletrônica para poder fazer consertos em televisores.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!