Nicolly Guimarães foi vítima fatal de um crime brutal dentro de uma cadeia em Jundiaí, no interior de São Paulo. O crime, que ganhou repercussão nacional, aconteceu no CDP (Centro de Detenção Provisória) da cidade e vitimou a jovem de apenas 22 anos. Segundo os agentes penitenciários, Nicolly não saiu da cadeia após uma visita íntima e, assim que notada a sua ausência, os carcereiros foram buscá-la na cela de Michael, seu ex-namorado. Ela foi encontrada caída e desacordada no local.

O Samu foi acionado para atendimento à mulher, mas ela acabou não resistindo aos ferimentos e seu óbito foi constatado no dia 27 de janeiro.

Publicidade

O suspeito, Michael Denis Freitas, 25 anos, ex-companheiro de Nicolly, assumiu o crime e revelou à Polícia que o mesmo foi cometido por ciúmes dela, em relação a um antigo relacionamento. Michael assumiu o crime e foi autuado em flagrante por feminicídio.

Com a evolução das investigações, a polícia descobriu alguns pontos importantes, inclusive que o crime provavelmente foi premeditado. Segundo a delegada do caso, Renata Ono, o suspeito já havia retirado o nome dos pais da lista de visitantes e deixado apenas o da ex-namorada. Esta pode ser uma pista importante sobre o caso e sobre a possível premeditação.

Indícios apontam premeditação de crime em visita íntima

Segundo apuração do G1, a delegada vê no fato de Michael ter tirado os pais da lista de visitantes e deixado apenas a ex, um indício de premeditação do crime. Nicolly, segundo revelado durante as investigações, foi até o local, mesmo temendo por sua vida, pois queria esclarecer um boato gerado por sua ex-sogra, mãe do detento (preso por roubo). A senhora teria revelado a um amigo do filho que Nicolly estava postando foto de biquíni em rede social e ao lado de um homem.

Publicidade

Um áudio que foi conseguido pelo G1 revelou que a vítima já havia dito a uma amiga que temia ser morta no local da visita, uma vez que o namorado era "louco". Aliás, a própria Nicolly revelou que não tinha mais relação com ele e que Michael era muito ciumento. Em outro áudio, também obtido pelo G1, ela revelou que a foto que a ex-sogra se referiu foi tirada ao lado de um primo.

Fotos do corpo de Nicolly vazaram na internet

O caso da morte da jovem também ganhou um desdobramento. É que fotos do corpo de Nicolly caíram na internet e foram compartilhadas em redes de mensagens e redes sociais.

Sobre o caso, a delegada da mulher abriu um novo inquérito para descobrir o responsável pelo vazamento e lembrou que quem compartilha este tipo de conteúdo, também pode ser responsabilizado. Vilipêndio de cadáver é crime previsto no artigo 212 do Código Penal e tem pena previsa de detenção, de 1 a 3 anos, além de multa.