Na tarde desta sexta-feira (8), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PFL-SP) postou em seu perfil oficial no Twitter uma mensagem em que uma Escola de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, era alvo de críticas. O parlamentar acusou o Colégio Leonardo da Vinci de ter a obra 'Abaixo a Ditadura!' como um dos livros adotados pela escola.

O deputado afirmou em seu tuíte que um grupo de pais se reuniram para vetar o uso do livro destinado ao público infanto-juvenil. Segundo o parlamentar, a escola se recusou a retirar a obra de sua lista de leituras.

O livro

A obra escrita e ilustrada pelo autor Cláudio Martins aborda o tema da Ditadura no Brasil, mas com uma linguagem voltada para as crianças.

O livro narra como era viver na época da ditadura militar, dando ênfase ao cerceamento da liberdade de expressão e também fala da perseguição que aqueles que não concordavam com o período ditatorial sofriam.

Outro assunto abordado pelo livro é a importância da mobilização popular no período. Ele cita o movimento conhecido como 'Passeata dos Cem Mil', mobilização contrária à ditadura.

Na notícia publicada por Eduardo Bolsonaro em seu Twitter, o parlamentar diz que o livro era destinado para os alunos do terceiro ano do ensino fundamental. Ele ainda alega que a direção da escola teria comunicado aos pais e responsáveis que não iria retirar a obra do acervo da escola, pois a mesma não era cobrada em provas.

No mesmo dia da postagem do parlamentar, o colégio divulgou um comunicado em que afirmava que o livro citado pelo filho do presidente Jair Bolsonaro nunca fez parte nem do acervo, nem das leituras da escola.

A escola também negou a informação dada por Eduardo Bolsonaro de que um grupo de pais e responsáveis teria falado sobre o assunto com a instituição de ensino.

O comunicado da instituição de ensino foi feito pelo Facebook.

O autor

O livro foi escrito e ilustrado pelo artista Cláudio Martins em 2004, falecido no ano passado aos 69 anos. Ele era natura de Juiz de Fora, Minas Gerais.

Martins deu início em sua carreira desenhando capas de livros na década de 1970, na década seguinte ele começou a fazer ilustrações para obras infantis, em 1992 ele começou a escrever livros.

Cláudio Martins foi contemplado com diversos prêmios nacionais, tendo sido vencedor de dois Jabutis, um dos prêmios mais importantes da literatura nacional. O artista mineiro deixou uma obra com mais de 300 livros ilustrados e 40 livros escritos.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Escola
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!