FUm crime hediondo chocou a cidade de Águas Lindas de Goiás durante a semana do Carnaval. Uma jovem de apenas 18 anos foi sequestrada, sofreu violência sexual em grupo e posteriormente foi morta estrangulada. A barbárie só teve fim depois que a jovem morreu e os suspeitos ocultaram o cadáver da moça em uma cisterna de uma chácara no município goiano. A vítima é Rafaela Martins Cardoso e, segundo a Polícia, ela foi vítima de seis suspeitos.

Um dos suspeitos, inclusive, acabou sendo morto, antes mesmo que a polícia conseguisse prendê-lo. O jornal Correio Braziliense revelou que o rapaz foi morto por uma gangue liderada por um dos parentes de Rafaela.

A Polícia Civil de Goiás confirmou a informação. A morte do suspeito teria sido por vingança do crime brutal. Um segundo suspeito também sofreu linchamento popular, por cerca de 10 pessoas, mas sua prisão acabou salvando-lhe da morte. O homem foi encaminhado para um hospital da região e após ser liberado, ficou preso, segundo o site de notícias G1.

Detalhes do crime assustam pela crueldade

Segundo o delegado de plantão de Águas Lindas, a jovem foi abusada por três homens na última terça-feira (5). Eles (o jovem morto, o que foi espancado e mais um outro rapaz) teriam estuprado a moça. Entretanto, após reconhecerem de quem se tratava, a irmã de um integrante da gangue de Santa Lúcia, eles tentaram encobrir os rastros do crime, estrangulando e jogando o corpo em uma cisterna.

Outros suspeitos foram identificados assim que o primeiro preso contou como teria sido a mecânica da morte de Rafaela. Após o delator ter entregue os comparsas, os nomes logo vazaram entre os moradores da cidade e, inclusive, entre a gangue da qual o irmão da vítima (que está preso), fazia parte. A gangue de Santa Lúcia então começou a fazer justiça com as próprias mãos, torturaram e espancaram um dos suspeitos até a morte.

Tudo foi devidamente gravado, como é de praxe entre facções criminosas. Além da tortura e espancamento, ao final ele recebe vários tiros.

Sobre o outro homem que participou do crime, o mesmo delegado revelou que, se a polícia não chega e aciona a sirene, o homem poderia ter sido morto por populares. Assim que ouviram a sirene, as pessoas saíram correndo.

Ainda segundo relatos do site G1, a jovem teve seu celular roubado e foi sequestrada em uma parada de ônibus na cidade. Ela foi vítima de abuso coletivo e ao final ainda foi estrangulada. Seu corpo foi encontrado em uma cisterna de uma chácara na cidade. O momento do sequestro foi filmado por câmeras de segurança. A polícia fala em seis suspeitos, mas três participaram do estupro coletivo.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!