Uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Rio viveu momento de desmando e tudo foi registrado por pacientes. Vídeos flagraram médico debochando de pacientes e até cobrança de consultas na unidade pública de saúde do município de Cabo Frio, Região dos Lagos do Rio. Em um dos vídeos gravados por pacientes, um dos médicos debocha até do time de futebol da pessoa que atende e o chama de burro.

Em outro vídeo, o mesmo médico chega a cobrar consulta e informar o preço. A afiliada da Globo na região ouviu alguns pacientes no local da denúncia e testemunhas afirmaram, inclusive, que um médico fazia atendimentos "sem parecer estar sóbrio".

Pacientes denunciam deboche e cobrança de consultas em UPA no Rio

Em um dos vídeos que circula em redes sociais, um médico chama o paciente de burro e revela que não atende casos básicos de saúde, por já ter muita experiência na área. Na tentativa de, supostamente, humilhar o leigo em medicina o profissional diz: "...você é burro e não entende".

O desmando continua e o mesmo médico pede R$ 50 pela consulta, no final do atendimento. O profissional diz que os R$ 50 é um valor simbólico para todo o mês e para que o diretor do hospital não enchesse mais seu saco.

O autor do vídeo, Jonathan Gonçalves Mendes, relatou que foi atendido pelo médico na madrugada de quinta (7). O rapaz confirmou que só fez as gravações da consulta depois que outros pacientes reclamaram do atendimento.

O RJ2, da Globo local, ouviu Jonathan, que disse que o médico parecia que não estava sóbrio. Ele ainda reclamou da prescrição do médico, que lhe passou morfina e um forte medicamento anti-inflamatório.

O rapaz ainda confirma que procurou a direção da UPA para fazer a denúncia, mas o diretor não estava no local. Ele relata que foi atendido por uma senhora que lhe confidenciou que ele não seria o primeiro a reclamar do médico e que quase apanhou por conta do mesmo profissional da área da saúde em outro dia.

O que diz a outra parte

A equipe do RJ2 também quis ouvir a direção do hospital no sábado (9), mas o diretor estaria no local apenas no domingo (10). Já o médico falou, em rede social, que foi desligado da UPA da cidade e que agora ele não "incomodaria" mais as supostas vítimas. A afiliada da Globo ainda tentou falar com o médico, que teria se recusado.

A prefeitura do município revelou em nota que, ao tomar conhecimento do caso, decidiu exonerar o médico e uma comissão da UPA deve também levar o caso ao Cremerj.

Siga a página Fofocas
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!